“Os sócios querem ganhar ontem. Reconheço que não é fácil ter paciência, mas os adeptos vêem o jogo de forma emocional. Com os recursos que tínhamos e temos, a missão fica mais difícil”, disse o técnico do conjunto do Restelo, que foi assobiado e apupado no final da derrota com os vimarenenses, por 1-0.

João Carlos Pereira considerou que foi “um jogo equilibrado, em que ganhou a equipa que menos errou” e destacou “a oportunidade de golo flagrante do Celestino”, bem como a expulsão de André Almeida, que tornou o jogo “mais complicado”.

Sobre a ausência de Diakité, jogador que tinha participado em todos os jogos do Belenenses nesta época, João Carlos Pereira disse que se trata de “questões do foro interno” e que o jogador estará de volta aos treinos na segunda-feira.

Do lado do Vitória de Guimarães, o treinador Paulo Sérgio admitiu que o encontro “não foi um grande espectáculo”, mas considerou a vitória justa, pela forma como os seus jogadores souberam ser “realistas”, ao contrário do que havia acontecido na derrota com o FC Porto (4-1).

O técnico explicou que a opção pela entrada do avançado Roberto, autor do único golo, “veio dar razão à opção tomada”, antes de deixar uma mensagem de esperança aos jogadores do Belenenses.

“Quero deixar uma palavra de solidariedade e força para os jovens do Belém, porque esta foi uma casa onde passei cinco anos”, concluiu.

O brasileiro Roberto, figura da partida, pelo golo que marcou, confessou que foi um momento “muito bom”, numa partida em que o Vitória “sofreu um pouco, mas foi inteligente e soube gerir o jogo”

Sobre a renovação do contrato que termina no final da temporada, o atacante revelou que ainda não recebeu qualquer proposta, mas mostra vontade em continuar a vestir a camisola do Vitória de Guimarães.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.