O técnico dos aveirenses, que se estreou no banco do Beira-Mar, frisa que esta pesada derrota poderá ser benéfica no futuro.

«De uma forma racional e justa, acho que o Rio Ave entrou melhor em jogo. Conseguimos depois equilibrar e suster as ações do adversário, que jogava a favor do vento, mas a grande penalidade alterou o cenário e o equilíbrio que se verificava até então.

Na segunda parte, a favor do vento, tentámos ser fortes e seguros, o que estávamos a conseguir fazer, numa altura em que voltámos a sofrer novo golo de bola parada. Apesar do 2-0, e com as substituições realizadas, tentei transmitir aos jogadores que a partida não estava perdida, mesmo correndo o risco de voltarmos a sofrer mais algum golo.

No futuro, esta derrota pesada poderá funcionar a nosso favor. Não estamos envergonhados e tenho a certeza que, com esta equipa, conseguiremos atingir os objetivos, numa tarefa que sei que não será fácil».

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.