O Benfica entrou em campo com a sua segunda linha e a Naval aproveitou a “facilidade” para vencer as águias por 2-1 e amealhar três preciosos pontos na busca pela manutenção na I Liga.

Necessitada de pontos para poder ainda sonhar com a permanência entre os grandes, a Naval entrou melhor em jogo. Aproveitando a falta de rotinha da equipa revolucionada do Benfica, a equipa de Carlos Mozer pegou no jogo foi-se aproximando da baliza encarnada.

Aos 21 minutos, os figueirenses chegaram mesmo à vantagem e beneficiaram de um erro do guarda-redes do Benfica. Desta feita não foi Roberto, mas sim Júlio César quem saiu em falso e permitiu a Bruno Moraes aproveitar da melhor forma um cruzamento resultante de um livre cobrado por Manuel Curto. O brasileiro foi lá acima e de cabeça colocou o placard em 1-0.

Logo de seguida um remate forte de Godeméche podia ter ampliado a vantagem, mas desta vez Júlio César reagiu a preceito.

Acordou então o Benfica e aos 32’ foi Carlos Martins a fazer estremecer a baliza dos homens da Figueira, respondendo a cruzamento de Luís Filipe na direita. Não marcou o médio internacional português, mas deu a marcar a Kardec na sequência de um canto, que também de cabeça fez o golo do empate após saltar sozinho no centro da área.

Com o empate no início do segundo tempo, pela sua posição na tabela, era à Naval que cabia a função de atacar e procurar a baliza adversária.

Os figueirenses não foram incessantes na busca deste objectivo, e foi mesmo do Benfica o domínio de jogo, mas a “estrelinha” esteve com os homens da Figueira na sua busca pela manutenção: num lance pelo lado esquerdo do ataque, Marinho rematou, ganhou o ressalto e do centro do terreno e à entrada da área voltou a rematar colocado para o 2-1 e fez renascer a esperança da manutenção na Figueira da Foz.

Já perto do fim, tempo ainda para mais sobressaltos junto de uma e outra baliza: a bola esbarrondou na trave da baliza do Benfica e do outro lado Luís Filipe falhou um golo quase certo.

Com este resultado o Benfica fica a 19 pontos do FC Porto, que já é campeão, e a Naval deixa ainda mais no fundo o Portimonense e continua na luta pela manutenção, continuando a quatro pontos do Vitória de Setúbal, equipa que está imediatamente acima da linha de água.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.