O presidente da Associação de Futebol da Madeira (AFM), Rui Marote, mostrou-se hoje "incrédulo" e "com muita dificuldade em explicar e perceber" a despromoção do árbitro madeirense Marco Ferreira.

O dirigente associativo manifestou à agência Lusa "muita estranheza", relativamente ao que se passou com o juiz insular, uma vez que, em seu entender, "era tão bom e, de repente, passou a ser tão mau".

"Tenho uma enorme dificuldade em explicar e perceber o que foi que aconteceu de tão grave, a um árbitro internacional para, de um época a outra, ter esta enorme oscilação, ainda por cima, quando ele foi nomeado para arbitrar o jogo da Taça de Portugal, entre o Sporting e o Braga e agora acontecer isto", destacou Rui Marote, garantindo que "não faz sentido".

O presidente da AFM lamenta o que está a acontecer com Marco Ferreira, "que é ainda jovem e deixou a sua atividade profissional para dedicar-se, em exclusivo, à arbitragem".

Rui Marote reconhece que houve "dois ou três jogos menos conseguidos", por Marco Ferreira, na época finda, mas que, no seu entender, "não explica de todo esta despromoção", lamentou o dirigente associativo madeirense.

"[Vou pedir] uma explicação que justifique tamanha indignação e tentar perceber, mesmo com muita dificuldade da nossa parte, o que aconteceu, porque tudo isto é muito estranho", explicou.

O árbitro madeirense, Marco Ferreira, foi segundo classificado em 2013/14 e hoje ficou a saber que tinha sido despromovido juntamente com Rui Piteira Rodrigues (AF Lisboa) e Jorge Tavares (Aveiro).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.