O Sporting de Braga venceu hoje o Nacional por 2-0 na sexta jornada, com golos de Nuno Gomes e Paulo Vinícius, e colou-se ao FC Porto e Benfica na frente da Liga de futebol.

À segunda tentativa (depois do empate em Guimarães), o Sporting de Braga igualou pontualmente o duo da frente, FC Porto e Benfica, ostentando as três equipas 14 pontos, mas os minhotos continuam em terceiro lugar mercê da pior diferença de golos.

Apesar de tudo, não foi uma vitória fácil perante um Nacional que, especialmente na segunda parte, esteve muito perto de empatar por várias ocasiões.

O Nacional mostrou personalidade e repartiu com os da casa as situações de maior perigo durante grande parte do primeiro tempo.

Aos 21 minutos, Mateus, já bem dentro da área, obrigou Quim a empenhar-se e, dois minutos depois, Hugo Viana rematou com força, Marcelo defendeu para a frente e o mesmo Viana tentou a recarga, que saiu ao lado.

Hélder Barbosa quase marcou, aos 27 minutos, mas Neto cortou com alguma felicidade – estava caído no chão – o remate que levava selo de golo.

Por volta dos 30 minutos, Elizeu lesionou-se e já não regressou ao campo e foi com menos um jogador que o Nacional viu a sua estratégia defensiva batida, não sem antes Skolnik ter assustado Quim com um forte remate cruzado (32).

No mesmo minuto, contudo, Alan desmarcou Baiano, o defesa direito foi à linha cruzar atrasado e Nuno Gomes encostou com o pé esquerdo, para o fundo da baliza, fazendo o primeiro golo da partida e o seu terceiro no campeonato.

Já nos descontos, Nuno Gomes, isolado por Hugo Viana, quase fazia o segundo tento, mas Marcelo fez bem a mancha.

A equipa insular entrou na segunda parte disposta a empatar e logo aos 49 minutos só uma difícil defesa de Quim o impediu, ao parar um remate do meio da “rua” de Skolnik.

Logo a seguir (52), Mário Rondon falhou por muito pouco: o avançado antecipou-se aos centrais, após centro de Edgar Costa da direita, mas o desvio, na cara de Quim, saiu a rasar o poste direito.

Aos 58 minutos Alan “sacudiu” a pressão com um remate à figura de Marcelo, mas, em dois minutos, o Nacional esteve por três vezes novamente muito perto de marcar, por Nuno Pinto (60), Mário Rondon (61) e Mateus (62), este com um remate ao poste.

Logo a seguir, Leonardo Jardim reforçou o meio campo, com a entrada de Salino para o lugar de Nuno Gomes, e o Sporting de Braga foi reconquistando o domínio do jogo.

Carlão, de cabeça, colocou à prova Marcelo (82) e no minuto seguinte, na sequência de um canto, Paulo Vinícius tranquilizou as bancadas, fazendo o segundo golo, também de cabeça.

Até ao final, o Nacional baixou os braços e foi o Sporting de Braga a estar mais perto do terceiro que os insulares do tento de honra.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.