A vitória de ontem do Sporting sobre o Beira-Mar, por 4-1, selou a pior temporada de sempre do emblema de Alvalade no campeonato nacional. Os leões terminaram a época de 2012/2013 fora das competições europeias num modesto sétimo lugar, depois de um percurso conturbado que contou com quatro treinadores diferentes, a demissão de um presidente desgastado e a eleição de um novo líder.

A temporada do Sporting começou em Guimarães com um empate a 0-0 frente ao Vitória. Seguiu-se depois uma derrota em casa com o Rio Ave por 0-1, e um empate na Madeira com o Marítimo por 1-1. Ao fim da 3.ª jornada o saldo pontual dos leões registava apenas dois pontos, e só na recepção ao Gil Vicente, à quarta jornada, é que o Sporting de Sá Pinto viria a conseguir a sua primeira vitória da época com um golo aos 85’ minutos de Ricky van Wolfswinkel.

A primeira vitória da temporada dos leões deu algum ânimo ao Sporting, mas na jornada seguinte o Estoril acabaria por ir a Alvalade roubar pontos com um empate a 2-2 na véspera do confronto europeu com o Videoton de Paulo Sousa. Frente aos húngaros, a equipa do Sporting acabaria por ser derrotada por 3-0 e Sá Pinto abandonava o comando técnico dos leões depois de levar a equipa na época passada às meias-finais da Liga Europa.

Com a saída de Ricardo Sá Pinto na véspera da deslocação ao Dragão, Godinho Lopes apostava em Oceano para assumir uma equipa desmotivada pela falta de resultados. Na estreia frente ao FC Porto, a equipa leonina comandada por Oceano acabaria por ser batida por dois golos colombianos.

A derrota no Dragão acentuou o cenário de crise do Sporting, e o empate frente à Académica, na jornada seguinte, acabaria por ditar o fim do ciclo de Oceano à frente da equipa já depois da eliminação da Taça de Portugal às mãos do Moreirense.

Com o cenário de eleições antecipadas cada vez mais no horizonte, Godinho Lopes contrata o treinador belga Franky Vercauteren. O técnico estreia-se com uma derrota em Setúbal mas alcança o primeiro triunfo na jornada seguinte frente ao SC Braga. A vitória caseira sobre o SC Braga ajuda a atenuar o cenário de crise em Alvalade, mas na deslocação a Moreira de Cónegos na jornada seguinte o Sporting volta a perder pontos e Franky Vercauteren começa a ser contestado. Godinho Lopes anuncia então Jesualdo Ferreira como manager do futebol leonino na véspera da deslocação ao Estádio da Luz, e a derrota no dérbi por 3-1 acaba por sentenciar o destino do treinador belga.

Antes do final da primeira volta, Jesualdo Ferreira assume o comando técnico da equipa. O experiente treinador estreia-se na Taça da Liga, em janeiro, com uma vitória por 1-0 sobre o Paços de Ferreira mas no início do mês seguinte a direção de Godinho Lopes cai e são marcadas eleições para março de 2013.

Na corrida à presidência do Sporting, Bruno de Carvalho, candidato derrotado nas eleições de 2011, vence José Couceiro com 53,69% dos votos (45.058 votos) e torna-se no 42.º presidente do clube de Alvalade. O novo presidente anuncia Augusto Inácio como diretor desportivo e mantém Jesualdo Ferreira no cargo de treinador. As eleições do Sporting acabariam ainda por ser marcadas pelo braço de ferro nas negociações da dívida do clube entre a nova direção do Sporting e a banca. A nível desportivo, o Sporting apresentava melhorias com o trabalho de Jesualdo Ferreira mas os resultados mantinham-se inconstantes com muitos empates e algumas derrotas. O clube assumia então que o grande objetivos era o apuramento para as competições europeias, algo que não viria a acontecer.

Nas contas finais do campeonato, o Sporting somou 11 vitória, 9 empates e 10 derrotas com o registo de 36 golos marcados e 36 sofridos. Com um modesto sétimo lugar, a equipa de Alvalade ficou pela segunda vez na sua história fora das competições europeias e alcançou o pior registo de sempre no campeonato nacional.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.