Depois de terem perdido em Atenas, frente ao AEK por 0-1, para a Liga Europa, os encarnados voltaram aos (muitos) golos, e nem um Paços de Ferreria ofensivo os impediu de marcarem três ao fim dos primeiros quarenta e cinco minutos na Mata Real.

O primeiro golo do Benfica apareceu cedo, ao minuto três, depois de um pontapé de canto executado por Carlos Martins e David Luiz cabeceia ao primeiro poste para dentro da baliza de Cássio.

Depois do primeiro golo, o Paços de Ferreira continuava dentro de campo como se nada tivesse acontecido e procurou sempre o empate. A equipa pacense conseguia aproximar-se da baliza de equipa, através de jogadas rápidas, mas faltava a eficácia.

Ao minuto 22, Carlos Martins surpreende Cássio com um grande remate (106 quilómetros por hora) a meio do campo, e a bola a fazer um grande efeito acaba dentro da baliza. Estava feito o segundo do Benfica.

Apesar do Paços estar a perder, tem demonstrado vontade de jogar mas sem conseguir aproveitar as excelentes jogadas que nascem da velocidade no meio-campo pacense.

O terceiro golo do Benfica nasceu de um livre directo e Cardozo não perdoou. A bola ainda bateu na barra mas só parou quando tocou as redes da baliza pacense.

Nota ainda para a falta de Ramires sobre o árbitro João Ferreira, depois de uma entrada de carrinho por trás. O juiz de Setúbal teve de receber assistência médica da equipa da casa mas sem motivos para alarme.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.