O médio espanhol Óliver Torres concedeu uma entrevista ao jornal AS e disse estar muito feliz por atuar ao "máximo nível" no FC Porto e na seleção espanhola de sub-21.

"Estou feliz. Na elite vivem-se bons momentos, outros nem tanto, mas sinto-me um privilegiado em todos os sentidos. Jogar ao máximo nível no FC Porto e também na seleção sub-21 é motivo para estar orgulhoso e contente", salientou o médio.

Óliver falou também sobre a saída do Atlético Madrid, admitindo que não foi fácil abandonar o clube madrileno.

"Tive pena de deixar o Atlético, porque desde pequeno que tenho o sentimento 'colchonero'. Mas sabia que para onde ia me queriam muito. Eu também gostava do FC Porto desde a primeira vez que por lá passei. Desde o princípio falei com o meu agente e disse-lhe que queria voltar. Trabalhámos todo o verão para que a opção se concretizasse. Por sorte, os portistas gostam de mim e fazem chegar o seu carinho pelas redes sociais. Isso enche-me de satisfação".

Quanto ao facto de já não ter Julen Lopetegui como treinador, Óliver garantiu que não há problema em relação a esse aspeto.

"É certo que antes tinha um treinador que me conhecia muito bem como o Julen, mas agora com o Nuno trabalhamos bem e ele acolheu-me muito bem. Cabe-me treinar todos os dias para que ele veja que pode contar comigo", realçou.

O experiente guarda-redes Iker Casillas, explica o médio, ajuda Óliver a sentir-se ainda mais acolhido: "Nunca tinha falado com ele, só o conhecia por ser o capitão da seleção e uma lenda. Ao início eu estava um pouco tímido, mas rapidamente me acolheu bem. Só tenho palavras de agradecimento para ele. Não o imaginava tão bom e alegre. Estou contente porque pessoas como ele ajudam-me e dão conselhos".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.