Os primodivisionários, Arouca e Belenenses, deverão juntar-se ao Olhanense, Gil Vicente, V. Setúbal e Académica, na lista de clubes que irão lutar até ao fim pela manutenção na primeira Liga.

Os algarvios, depois de tantos problemas na temporada transata, com três treinadores e situações de salários em atraso, apostaram no inexperiente Abel Xavier para liderar a equipa. O Olhanense avançou para a constituição de uma Sociedade Anónima Desportiva, que contou com o investimento de um grupo italiano, que está a ajudar o clube no reforço do plantel.

Dos jogadores da época passada, restam apenas o guarda-redes Ricardo, o defesa André Micael, os médios Rui Duarte e David Silva e o avançado Yontcha. Demasiadas mexidas, num clube que ainda está a trabalhar na definição do plantel. Um plantel que é uma verdadeira sociedade das nações, com jogadores de 14 países diferentes. Abel Xavier não terá tarefa fácil.

O Gil Vicente rompeu com o técnico Paulo Alves e apostou em João de Deus, treinador ainda jovem mas com provas dadas na segunda Liga, onde fez bons trabalhos no Atlético e na Oliveirense, depois de passar pelo AD Ceuta de Espanha e pela seleção de Cabo Verde.

Descontente com a prestação da equipa na Liga 2012/2013, o presidente António Fiúza prescindiu de 23 jogadores que faziam parte do plantel da temporada passada, apostando em jovens valores dos escalões secundários. A contratação mais sonante foi a de Bruno Moraes, avançado que já passou pelo FC Porto. O primeiro ano de João de Deus não será fácil mas, pelas amostras da pré-temporada, o clube deverá fazer uma época com menos sobressaltos.

Já sem Pedro Emanuel, que abandonou a Académica antes do final da época, o presidente José Eduardo Simões apostou em outro jovem treinador, Sérgio Conceição. Um filho da casa, que foi buscar Fernando Alexandre, Ivanildo e Abdi ao Olhanense, seu anterior clube, entre outros reforços.
Mas o clube viu partir os defesas Hélder Cabral e Flávio, além dos avançados Edinho e Cissé, transferidos para o SC Braga e Sporting respetivamente. A tarefa parece difícil mas Sérgio Conceição já mostrou que não é treinador para fugir a desafios.

Tarefa complicada terá também o V. Setúbal. Os sadinos mantiveram o treinador José Mota no comando, depois de garantir a manutenção mas esta temporada o objetivo deverá ser o mesmo: uma classificação tranquila, longe dos lugares de despromoção.

Para tal, José Mota terá de fazer milagres, já que o Setúbal é clube com o orçamento mais baixo da 1.ª Liga (1,1 milhões de euros). O ex-técnico do Paços de Ferreira e do Belenenses apostou na prata da casa e em jogadores dos escalões secundários, além do defesa Javier Cohene, ex-Paços. Para colmatar a saída do camaronês Meyong, a formação sadina deposita imensas esperanças no paraguaio Cardozo, Ramon Cardozo, para ajudar a equipa no último terço do terreno, onde o Vitória de Setúbal não foi tão eficaz.

Na primeira jornada, o Arouca terá o seu batismo de fogo em Alvalade, frente ao Sporting. O Belenenses recebe o Rio Ave, o Vitória de Setúbal defronta o FC Porto no Bonfim enquanto o Olhanense vai até ao Minho defrontar o Vitória de Guimarães. Gil Vicente e Académica medem forças entre si em Barcelos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.