O treinador do Vitória de Guimarães vincou hoje a sua desilusão por não ter já assegurado o acesso às competições europeias, após o empate (0-0) no reduto do Rio Ave, na 29.ª jornada da Liga de futebol.

“Não era este o resultado que queríamos. A nossa grande vontade era garantir já hoje o quinto lugar”, disse Paulo Sérgio, acrescentando: “É mais um ponto para a nossa luta. Vamos ter que decidir tudo na última jornada”, no desfio frente ao Marítimo.

Sobre o jogo, o técnico reconheceu a falta de eficácia dos seus pupilos: “No primeiro tempo não fomos dominadores, mas na segunda parte fomos a equipa que mais procurou a vitória. O jogo foi bem disputado e difícil, perante uma equipa de qualidade”.

Paulo Sérgio não escondeu algum desagrado com actuação do árbitro Bruno Paixão, nomeadamente no capítulo da exibição de cartões, que deixará a sua equipa desfalcada na última ronda.

“Curiosamente, todos os jogadores do Vitória de Guimarães que estavam em risco de exclusão foram amarelados. No próximo jogo, que é decisivo, não vou poder contar com eles”, aludiu o técnico.

Do outro lado, Carlos Brito, treinador do Rio Ave, considerou o empate final um resultado justo.

“Os nossos adeptos têm razões para estar satisfeitos. Controlámos bem o jogo e demos poucas veleidades ao adversário. Na segunda parte eles entraram melhor, mas equilibrámos e fomos mais fortes na parte final, altura em que desperdiçámos algumas oportunidades. Aceito o empate com todo o fair-play”, analisou Carlos Brito.

O treinador dos vila-condenses, que na ronda anterior tinha atingido a manutenção, considerou que a equipa ultrapassou uma fase menos positiva.

“Estou satisfeito com o que fizemos hoje e com o nosso campeonato tranquilo. Tivemos uma fase infeliz, é certo, embora já tenhamos normalizado e já não sofremos golos há três jogos”, sublinhou o técnico.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.