Pedro Guerra, antigo diretor de conteúdos da BTV e um dos visados por Francisco J. Marques no caso dos emails, admitiu que mantinha conversas com ex-árbitros, nomeadamente Adão Mendes, também ele acusado pelo diretor de comunicação dos 'dragões', mas que o fazia apenas depois dos jogos.

"Falava, e falo, com alguns antigos árbitros para me preparar para este programa. Não me chega o que leio nos jornais. Falava com Adão Mendes, um antigo árbitro de Braga, mas era a seguir aos jogos. Como pode haver corrupção se falava com um ex-árbitro, reformado há 30 anos, a seguir aos jogos para ele me dar a opinião dele sobre as decisões do jogo?", questionou Pedro Guerra no programa Prolongamento, da TVI24.

"Nunca fui funcionário do Benfica, isso é fácil de provar, e à época em que me atribuem tal email, que volto a dizer não me lembro dele, falava com Adão Mendes ao telefone. À época era apenas comentador da CM TV, a minha principal atividade era assessoria parlamentar de um grupo político, não tinha qualquer ligaçao à BTV na altura dos e-mails. Não conheço nenhum dos oito árbitros que o diretor de comunicação do FC Porto elencou e não conseguiram identificar um único jogo dos 132 do tetra em que digam que o Benfica pagou para ter um resultado favorável. Sabem porquê? Porque é falso", acrescentou.

Pedro Guerra confirmou ainda as buscas realizadas pela Polícia Judiciária no âmbito do caso dos emails, que foram noticiadas na semana passada. "Fizeram-me uma busca a casa", disse o comentador.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.