O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, assinalou hoje que os passos dados pelo organismo na luta contra a violência no desporto também integram o combate ao racismo.

“A Liga tem tido um papel extremamente ativo no combate ao racismo e xenofobia, mas no combate à violência no desporto e no futebol em particular. Há pouco mais de uma semana, estive reunido com o ministro da Administração Interna, fazendo e reivindicando intervenções de natureza objetiva e subjetiva”, afirmou Pedro Proença, em declarações à agência Lusa.

O presidente da LPFP assinalou os pedidos feitos à tutela, como são os casos das “revistas aos adeptos seja feita de uma forma muito mais rigorosa, de forma a que se consiga detetar a inserção de artefactos pirotécnicos em recintos desportivos”, mas também quanto à interdição de adeptos.

Imagens da Sport TV comprovam que houve mesmo insultos racistas em Guimarães
Imagens da Sport TV comprovam que houve mesmo insultos racistas em Guimarães
Ver artigo

“Queremos que, claramente, aos adeptos que não têm comportamentos condignos, sejam aplicadas medidas sancionatórias de interdição de acesso a recintos desportivos e sejam acompanhados do dever de apresentação junto das autoridades às horas dos jogos das sociedades desportivas infratoras”, prosseguiu o antigo árbitro.

O dirigente defendeu a “intervenção robusta, inequívoca e exemplar, até musculada se for necessário”, porque “o combate aos comportamentos antidesportivos é um combate de todos”.

Pedro Proença reiterou o comunicado divulgado pelo organismo que preside, sobre os incidentes ocorridos com o futebolista maliano do FC Porto Marega, assinalando que o racismo “envergonha o futebol e a dignidade humana”.

“Temos a clara noção de que os valores do futebol não são compatíveis com o que se passou na noite de hoje no estádio do Vitória Sport Clube. É importante também afirmar que a grandeza da instituição Vitória Sport Clube não deve ser confundida, em momento algum, com a atitude de uma pequena minoria que não representa esta grande instituição. Estes atos envergonham o futebol e a dignidade humana”, sublinhou.

Marega reage ao caso: "Vão-se f**** racistas idiotas"
Marega reage ao caso: "Vão-se f**** racistas idiotas"
Ver artigo

O avançado pediu para ser substituído, ao minuto 71 do jogo da 21.ª jornada da I Liga, por alegados cânticos racistas dos adeptos da formação vimaranense, numa altura em que os ‘dragões’ venciam por 2-1, resultado com que terminaria o encontro.

Depois de pedir a substituição, Marega apontou para as bancadas do recinto vimaranense, com os polegares para baixo, numa situação que originou uma interrupção de cerca de cinco minutos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.