Pedro Proença reagiu este sábado à decisão do Tribunal da Relação de Guimarães, que anulou a multa ao adepto do Vitória de Guimarães que tapou o rosto com um capuz no jogo contra o FC Porto, em que Marega deixou o relvado após ter sido alvo de insultos racistas.

A multa tinha sido aplicada pela Autoridade para a Prevenção e o Combate da Violência no Desporto, que considerou que o referido adepto quis esconder a cara, violando a lei.

De acordo com o 'Jornal de Notícias', o juiz considerou que o ato se insere "na normalidade", anulando a multa aplicada. Pedro Proença reagiu a esta decisão através das redes sociais.
"O Desporto e, em específico, o futebol, tem estado na linha da frente do combate a todas as formas de violência, racismo e intolerância. Exige-se (e bem) mão firme e celeridade às instâncias de justiça desportivas, ao mesmo tempo que se impõem aos promotores a criação de todas as condições para uma eficaz identificação de pessoas a quem tem de ser negado o acesso a espetáculos desportivos. Decisões como esta do Tribunal da Relação de Guimarães são incompreensíveis e lamentáveis, colocando em causa os esforços e investimentos que todas as instâncias desportivas têm feito na exclusão de comportamentos nocivos do Desporto", pode ler-se na publicação do presidente da Liga Portugal.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.