O médio Pepê afirmou hoje que o Vitória de Guimarães deveria ter uma pontuação mais elevada na I Liga portuguesa de futebol face à "qualidade" que tem apresentado.

Acompanhado pelo presidente do clube, Miguel Pinto Lisboa, e pelos jogadores André Almeida e Rafael Gomes (este dos sub-23) numa visita ao instituto 3B's, da Universidade do Minho, responsável pela investigação em biomateriais, em Guimarães, o jogador frisou que os 22 pontos após 16 jornadas estão aquém do valor demonstrado pelo conjunto treinado por Ivo Vieira.

"Esperávamos ter mais pontos pela qualidade do nosso futebol, mas a bola não tem entrado. Vamos trabalhar para que a bola comece a entrar. Por vezes, tem-nos faltado uma ‘ponta de sorte', porque temos ido várias vezes à frente, rematado e criado situações de golo", disse.

Apesar de rejeitar que esse suposto défice de pontos aumente a "pressão" sobre um clube que já assumiu como meta os cinco primeiros lugares do campeonato, Pepê admitiu que é preciso vencer na receção ao Santa Clara, às 15:30 de sábado, para a última jornada da primeira volta.

Titular no ‘vértice' mais recuado do meio-campo nos últimos dois jogos da I Liga, o futebolista de 22 anos assumiu "estar bem e confiante" nesta fase, mas espera ainda melhorar o rendimento na segunda metade da época, até por causa da concorrência que existe no plantel.

"A equipa tem muita qualidade. Isso é bom para mim, porque faz com que tenha de estar sempre no máximo das minhas capacidades para conseguir o lugar", disse o jogador formado no Académico de Viseu e no Benfica, a cumprir a segunda temporada em Guimarães.

Com três golos em 28 partidas oficiais em 2019/20, Pepê garantiu ainda que o plantel está, para já, exclusivamente "focado no campeonato", sem qualquer pensamento na ‘final four' da Taça da Liga - os minhotos disputam a meia-final com o FC Porto, em 22 de janeiro.

A visita do Vitória de Guimarães ao instituto que opera no parque de ciência e tecnologia Avepark, sediado no norte do concelho, realizou-se no âmbito de uma ação solidária do clube e da associação Maratona da Saúde, que prevê a recolha de donativos no intervalo do jogo com o Santa Clara, para o financiamento da investigação biomédica em doenças raras.

"O Vitória é um clube solidário e, para nós jogadores, é um gosto poder estar aqui e poder ajudar quem precisa", disse Pepe, no âmbito da iniciativa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.