O antigo vice-presidente do Sporting, Paulo Pereira Cristóvão, reagiu em comunicado às acusações de que foi alvo por parte de Bruno de Carvalho durante a última Assembleia Geral do clube, e respondeu ao líder leonino com duras críticas.

"Bruno Miguel [Pereira Cristovão refere-se assim a Bruno de Carvalho] não é somente hipócrita, Bruno Miguel é também mentiroso", pode ler-se no extenso comunicado de Paulo Pereira Cristóvão em relação às declarações do presidente do Sporting na última Assembleia Geral.

"1.º Ninguém pediu a sua suspensão. O que se pede ao Conselho Fiscal é que este actue disciplinarmente sobre o sócio Bruno Miguel Azevedo porquanto contra ele correrem, pelo menos, dois processos-crime (que foram devidamente identificados) pela prática em abstracto de dois crimes de difamação agravada, um crime de devassa da vida privada por meio informático e um crime de incitamento à prática de crime, ilícitos estes praticados contra sócios do Sporting Clube de Portugal e em exercício de funções de presidente por parte de Bruno Miguel Azevedo.

No seu monólogo omitiu este “pormenor” aos sócios e fê-lo de forma voluntária por forma a que a sua encenada vitimização corresse bem.

2.º Na mesma carta, que aliás está à disposição de todos aqueles que a quiserem ler, foram esmiuçados actos praticados pelo ainda presidente, julgados e condenados nas instâncias desportivas e que terão necessariamente que obter consequências disciplinares internas sob pela daquele Conselho Fiscal passar a imagem de que não será mais que um órgão fantoche nas mãos do funcionário que ocupa a cadeira da presidência.

3.º Não deixa de ser estranho que uma carta recebida na sexta-feira pelo órgão fiscalizador do Clube, acabe de imediato nas mãos do fiscalizado sem mais. Isto indicia que provavelmente os Sporting actual esteja simplesmente sem entidade que o fiscalize de facto.

4.º Falou Bruno Miguel sobre um processo disciplinar que estaria a correr contra mim. Mais uma vez omitiu aos sócios que o tal processo que fala não existe e não existe porque, conforme foi em tempo divulgado, azevedo, o presidente do conselho fiscal e o advogado sócio do benfica contratado e pago pelo Sporting, foram incompetentes ao deixarem expirar prazos que são prazos de lei e não prorrogáveis, não podendo ao fim de cinco anos querer fazer procedimentos disciplinares que em 2012 tinham 90 dias para serem encetados.
Por isto, não há qualquer processo e se porventura este Conselho Fiscal promíscuo com Bruno Miguel, lhe quiser fazer a vontade de tentar eliminar as vozes que não se submetem, então será altura de pessoalmente responderem nos tribunais civis e se necessário for, será nestes tribunais que esse CF será dissolvido.

5.º O que se refere igualmente naquela exposição é que o Bruno Miguel com tanta suspensão que tem vindo a acumular, neste momento é um presidente em suspenso. Isto é factual.

O que Bruno Miguel deveria falar e não fala e a AG do Clube era o local apropriado para o fazer, mas que, mais tarde ou mais cedo terá que responder aos sócios, são assuntos tão simples e ao mesmo tempo tão complicados como:

• Existe ou benefício pessoal quando a sua actual mulher, após casamento, vê o seu ordenado aumentado várias vezes para ir para uma função que não existia, coadjuvada por um grupo de amigas na certeza de que ninguém sabe de facto o que elas fazem?
E quanto custa ao Sporting anualmente este upgrade na sua vida?

• É ou não verdade que quando esta promoção ocorreu, convocou todos os funcionários do Clube para o auditório para ali mesmo os informar da “nova ordem” e lhes mostrar que o “respeitinho” devido à sua nova 1.ª Dama “era muito bonito”?

• A tal transparência tantas vezes apregoada não obrigava a que mostrasse aos sócios quanto vai ganhar a sua mulher e as amigas e, detalhadamente, explicasse o que são as tais funções no departamento que literalmente ninguém sabe o que faz?

• É ou não verdade que num jogo de “casa cheia” como o Sporting-Barcelona, deu instruções para serem entregues 90 (noventa) bilhetes à sua mulher? Se sim, a pretexto de quê? Foram pagos esses ingressos?

• É ou não verdade que usa meios de transporte e motoristas do Clube para transporte de familiares seus como se os carros e os funcionários fossem sua propriedade?

• É ou não verdade que, apesar da gestão de excelência de quem antes deste emprego não tinha nenhum, o Clube precisa urgentemente de investidores externos sob pena de entrar em falência técnica?

• A propósito de quê no ano passado ele próprio e mais três administradores receberam cerca de 40.000 euros cada um como prémio de desempenho? Que objectivos atingidos justificaram isso?

• O que é que se passou com a comitiva do Barcelona no almoço pré-jogo?

• Quem pagou as viagens da sua ex-mulher, filha, então namorada e actual mulher que foram amplamente vistas e difundidas?

• Quem paga os milhares e milhares de euros em multas que Bruno Miguel Azevedo tem sido condenado por actos que ocorreram por sua decisão pessoal e unicamente pessoal? O Sporting ou ele mesmo?

Estas e muitas outras dúvidas que os sportinguistas insubmissos têm é que deveriam ser devidamente esclarecidas. Mas sê-lo-ão seja em que instância for.
De resto e como dizia o tio avô do Bruno Miguel: “É só fumaça”.

Neste caso, adiantamos nós, fumaça lançada pelo seu sobrinho-neto como forma de distrair os sportinguistas do que vai acontecendo.

Mas não nos deixaremos distrair e muito menos esquecemos todos os actos praticados assim como as omissões de quem tem por missão fiscalizar os actos da Direccão.", pode ler-se no comunicado.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.