A recente aposta nos valores jovens da formação das ‘águias’ rendeu quase 352 milhões de euros desde 2015. No total, foram onze os jogadores que rumaram ao estrangeiro.

O caminho começou a ser aberto com Bernardo Silva. O jovem lisboeta, na altura com apenas 22 anos, trocou os ‘encarnados’ pelo Mónaco, em janeiro de 2015, por 15,75 milhões de euros.

Mais tarde, durante esse mesmo ano, foram três os jovens benfiquistas que abraçaram um novo desafio. João Cancelo e André Gomes trocaram o Benfica pelo Valência, por uma verba de 15 e 20 milhões de euros, respetivamente. Já Ivan Cavaleiro juntou-se a Bernardo Silva no Mónaco, também por 15 milhões de euros.

No verão de 2016, após uma época de afirmação nas 'águias', Renato Sanches garantiu a maior venda de um jogador da formação para os cofres ‘encarnados’, na altura. O médio português foi transferido para o Bayern de Munique por 35 milhões de euros.

Seis meses depois foi a vez de Gonçalo Guedes deixar a Luz. O avançado, na altura de 20 anos, transferiu-se para o Paris Saint-Germain, num negócio de 30 milhões de euros. No mesmo mercado, o Manchester United oficializou a contratação de Victor Lindelof por 35 milhões de euros. Mas o Benfica não ficou por aqui e vendeu ainda Hélder Costa ao Wolverhampton por 15 milhões de euros.

Já no verão de 2017, Nélson Semedo saiu do Benfica para o Barcelona a troco de 30 milhões de euros. Enquanto o ano passado, os encarnados venderam apenas João Carvalho ao Nottingham Forest, do segundo escalão inglês de futebol, por 15 milhões de euros.

Mas, a maior venda do Benfica é a mais recente. Esta semana, João Félix foi vendido pelos encarnados ao Atlético de Madrid por 126 milhões de euros, na maior transferência de sempre do futebol português e uma das mais caras a nível mundial.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.