O FC Porto recebeu e derrotou este domingo o Marítimo por 1-0, naquele que foi o jogo de estreia de José Peseiro enquanto treinador dos 'dragões'. O único golo de um encontro muito pouco entusiasmante surgiu aos 22 minutos e resultou de um remate de André André, que beneficiou da infelicidade do guarda-redes Salin. Os 'dragões' não impressionaram, mas seguraram a vantagem mínima até ao final.

Peseiro foi conservador no seu batismo no Dragão e lançou um 'onze' inicial bem ao estilo do seu antecessor, Julen Lopetegui. Casillas ficou na baliza, atrás de uma defesa com Maxi, Indi, Marcano e Layún. Danilo, Herrera e André André formaram o meio-campo e apenas aqui se notou uma ligeira mudança em relação ao passado: André jogou adiantado, nas costas do ponta-de-lança, com Danilo e Herrera a ocuparem terrenos mais defensivos. No ataque estava o habitual trio Corona, Aboubakar e Brahimi.

Diante de um Marítimo que também estreou o novo treinador, Nelo Vingada, o FC Porto assumiu desde cedo a posse de bola mas não o fez de forma assertiva. A primeira parte foi recheada de passes falhados por parte dos 'azuis-e-brancos', que chegaram à vantagem num lance algo fortuito. O relógio marcava 22 minutos quando Layún cruzou para André André e o médio enviou um tiro repleto de raiva: a bola embateu na trave e ressaltou nas costas do guarda-redes Salin para de seguida entrar na baliza maritimista. O Marítimo queixou-se de mão de Aboubakar no lance do golo, mas o árbitro validou o 1-0.

Logo depois do golo aconteceram dois lances polémicos consecutivos. Primeiro Maxi Pereira entrou na grande área do Marítimo e pareceu ter sido derrubado por Fernando Ferreira, mas o árbitro Jorge Ferreira mandou seguir. De seguida foi Indi a aparentar tocar na bola com o braço na grande área portista. Mais uma vez, o jogo prosseguiu.

O Marítimo ainda se aproximou do golo do empate aos 27 minutos mas Dyego Sousa acertou na barra da baliza de Iker Casillas, que estava completamente batido. O intervalo chegaria com a vantagem mínima para a equipa da casa, que ia fazendo o mínimo essencial para assegurar os três pontos e continuar na peugada dos rivais Sporting e Benfica.

No segundo tempo os frequentes erros deste FC Porto construído por Julen Lopetegui tornaram-se ainda mais evidentes, com o FC Porto a exibir um futebol pouco direto e a permitir interceções frequentes ao adversário. A equipa insular ia procurando ocasiões para empatar e aproximava-se de Casillas de quando em quando. Diallo rematou para defesa do espanhol aos 64' e Eber Bessa atirou muito torto aos 67'.

O FC Porto ainda teve uma ocasião para ampliar a vantagem aos 73 minutos, por Corona, mas o mexicano atirou para defesa de Salin depois de passar por Patrick. O apito final chegaria com uma vantagem 'azul-e-branca' por 1-0, garantindo assim o FC Porto três pontos na estreia do novo técnico. Os 'dragões' continuam no terceiro lugar da Liga, a três pontos do Benfica e a cinco do líder Sporting.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.