Pinto da Costa, presidente do FC Porto, falou em entrevista ao Porto Canal e explicou de que forma se processou a chegada do avançado espanhol Adrián López ao Dragão.

"Adrián López tem uma história. Quando Lopetegui veio percebi que, não conhecendo bem o campeonato português, quis apoiar-se em jogadores que conhecia bem. Uma das exigências dele foi o Adrián López. Com tanta insistência, entrei em contacto com o At. Madrid e com o empresário Jorge Mendes e deram-me um preço exorbitante: 60 por cento por 11 milhões de euros. E eu disse logo que não, nem pensar".

"Entretanto, o empresário apresentou uma solução à qual hoje voltava a dizer que sim. A ideia seria aceitarmos letras dos 11 milhões, todas para um ano depois. E ele disse-nos que tivéssemos problemas, que se não o quiséssemos, que ele pelo mesmo preço colocava o jogador. O treinador queria-o, era caro, mas o empresário garantiu que o tirava daqui sem risco. O tempo foi passando, o empresário não o colocou, não pôs o dinheiro... Quando vieram as letras, nós é que tivemos de as pagar", explicou.

"Não perdi confiança em Jorge Mendes, mas negócios destes nunca mais faço", assegurou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.