Na cerimónia de entrega das duas taças conquistadas pelo FC Porto esta época ao museu dos 'dragões', Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do clube, abordou a questão da ausência de público nas bancadas do Estádio Cidade de Coimbra na final de ontem.

O líder 'azul-e-branco' revela que todos os responsáveis com os quais falou consideraram inacreditável as bancadas vazias.

"Todas as pessoas responsáveis com quem falei, inclusive o secretário de estado do desporto, todas elas acharam que era inacreditável como é que não podiam estar ali umas centenas de pessoas. Toda a gente achava. O que é certo é que toda a gente acha que não faz sentido, que não tem razão de ser, que é uma injustiça, que vão levar os clubes à falência como já aconteceu com o Aves. Porque o grande problema do Aves, de não pagar aos atletas, também se deve do fato de estarem à espera das receitas dos Aves-FC Porto e do Aves-Benfica para poder por as contas em dia", disse.

Pinto da Costa prosseguiu voltando a realçar a permissão de público noutro tipo de eventos fora do futebol.

"Isto é um não ligar ao futebol, permite-se público nas touradas, permite-se público nos espectáculos fechados. No dia em que estávamos a jogar em Tondela com o campo sem ninguém estava à mesma hora, não a dar chutos na bola, mas o Xutos & Pontapés a dar um concerto no Tivoli, que é um recinto fechado, com 500 pessoas. Mas isto tem alguma explicação? Eu só queria entender, mas ninguém me explica", afirmou., deixando críticas à Diretora-Geral da Saúde de seguida.

"Toda a gente acha que é incrível. Mas quem é que manda? É aquela senhora que vai para a televisão que uma vez diz que se deve de estar de máscara, outras já não? Uma vez diz que é uma gripezinha que não vai chegar cá, outra vez é para estar tudo em pânico... Eu não sei, acho que este país está sem rei nem roque. Não há uma pessoa que não diga que isto não é absurdo. O que é certo é que quem tem poder permite isto", realçou.

O líder do FC Porto comparou ainda a situação portuguesa com a francesa, onde a final da Taça de França teve público, considerando que a atitude em Portugal mostra o desprezo dos responsáveis pelo futebol.

"Paris que está em muito piores condições que Portugal fez a final da Taça de França com 10 mil pessoas e não houve nenhum problema! O que está a acontecer aqui é tão absurdo. Mostra o desprezo dos responsáveis pelo futebol"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.