O presidente do Vitória de Setúbal disse hoje que o desafio entre sadinos e Sporting, no sábado, “vai ser um espetáculo deprimente” e envergonhar o futebol português, após falta de acordo para alteração da data do jogo.

“Lamento que o Sporting queira jogar com o Vitória nas condições em que os nossos jogadores estão. Vai ser um espetáculo deprimente e que envergonha o nosso futebol”, lamentou Vítor Hugo Valente, à comunicação social, depois de terminada a reunião convocada pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), na qual os sadinos reiteraram o seu pedido de adiamento, devido ao vírus que assola o seu plantel.

Vítor Hugo Valente explicou a proposta que os ‘leões’ apresentaram, através de Miguel Nogueira Leite, membro do conselho diretivo.

“O Sporting trouxe uma proposta que incluída uma junta médica, que incluía um médico nomeado pela Liga, um do Vitória e outro do Sporting. Recusámos, porque não somos um clube de ‘vão de escada’. A proposta tem um pressuposto que ofende a nossa honorabilidade”, lamentou.

Para o líder dos sadinos, “nunca nenhum médico de outro clube” irá analisar os seus jogadores, vincando também que “o Vitória nunca faltou a um jogo e não o irá fazer”.

Por sua vez, Miguel Nogueira Leite confirmou a junta médica solicitada junto do Vitória e frisou que os ‘leões’ fizeram a proposta “num espírito de cooperação e boa fé”.

“O Vitória entendeu não aceitar a nossa proposta, portanto o jogo, nos termos regulamentares, está agendado para amanhã e vai-se realizar", declarou aos jornalistas, após a conclusão da reunião na sede da Liga, em Oeiras.

O representante do Sporting acrescentou que “há jogadores suficientes [do lado do Vitória], quer nos termos da lei de jogo, quer nos termos regulamentares".

O jogo entre Vitória de Setúbal e Sporting, da 16.ª jornada da I Liga, vai, assim, realizar-se este sábado, pelas 20:30, no Estádio do Bonfim.

O plantel do Vitória de Setúbal foi afetado por uma virose, o que levou o clube a pedir o adiamento do encontro de sábado, mas o Sporting, justificando com a sobrecarga de calendário, não aceitou, com a Liga a não alterar a data por os dois clubes terem falhado um entendimento.

Na quarta-feira, fonte oficial dos sadinos indicou à agência Lusa que a sessão de treino prevista para esse dia não se tinha realizado, uma vez que “80% do plantel” estava “afetado por um vírus gripal".

Os jogadores do Vitória de Setúbal começaram a apresentar sintomas como "vómitos, febres e diarreias", na semana passada, tendo o vírus alastrado a quase todo o plantel esta semana, explicou a mesma fonte.

Hoje, o treinador dos sadinos, Julio Velázquez, indicou que na quinta-feira a sua equipa treinou com apenas um jogador, Carlinhos, "que só pôde fazer corrida", e três guarda-redes, "um da equipa principal e dois dos sub-23".

"Outros 14 ficaram no hospital, outros na cama e quatro, cinco ou seis jogadores fizeram trabalho de mobilidade. Vómitos, diarreias, febres de 39 e 40 graus foi esta a realidade a 100%", disse em conferência de imprensa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.