O extremo do Sporting, Raphinha, concedeu uma entrevista à Sporting TV onde abordou diversos temas, apontando para o início da temporada, frente ao Benfica, na Supertaça Cândido Oliveira.

Pré-época sem vitórias: "São jogos em que a equipa ainda se está a conhecer, há muitos jogadores novos e dá para cometer erros pois esses erros podem ser cometidos até ao dia 3 de agosto. Depois disso temos de estar preparados para cometer o menor número de erros possíveis, e só assim poderemos sair com um resultado positivo."

Jogo com o Benfica: "Renovadas as energias, o grupo está todo a dar o máximo em cada treino. Estamos a preparar tudo da melhor maneira para quando chegar o dia 4 de agosto conseguirmos um resultado positivo"

Vitória na Supertaça dá confiança: "Sem dúvida, eu tenho uma medalha de finalista da Taça de Portugal e outra de vencedor. E também tenho uma de finalista da Supertaça".

Jogo da Taça de Portugal: "Só quem está lá dentro é que sabe o que realmente passámos. Passámos a segunda parte do prolongamento a defender, correr, a dar tudo e sofrer um golo no último instante da partida é frustrante para qualquer um. Eu acabei a extrapolar e a reagir daquela maneira, mas ainda havia os penáltis para bater e tinha de voltar a mim e ficar tranquilo para marcar."

Ajuda de Marcel Keizer: "Os jogadores que já cá estavam já o conheciam, e estamos a ajudar os mais novos para compreenderem as ideias do mister para os resultados aparecerem o quando antes. O trabalho dele é muito favorável para nós. Sempre me deu confiança e liberdade para fazer o meu jogo. No começo é normal que a gente queira mostrar muito trabalho e com os nervos não sai nada, mas depois com a confiança do treinador as coisas acontecem naturalmente."

Jovens na equipa: "Não é à toa que eles fizeram a pré-época e continuam a trabalhar connosco. São jogadores de qualidade que têm muito a acrescentar ao nosso grupo. O futuro é a aposta nos jovens."

Dia de apresentação: "Duas semanas antes de me apresentar, tive um problema e o médico não soube dizer o que me paralisou metade do rosto devido ao nervosismo e ansiedade. Acabei por apresentar-me com metade do rosto paralisado. Nessa altura não conseguia sorrir para ninguém, estava sempre sério. Mas depois foi só alegria"

Modo de vida: "Negatividade atrai negatividade. Procuro estar sempre com um sorriso no rosto, alegre e a brincar. Eu acho que a alegria atrai alegria."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.