Carlos Abreu Amorim, deputado do PSD e adepto do FC Porto, já dá o título por perdido para o Benfica. O político que há dois anos escreveu um tweet polémico ["magrebinos: curvem-se perante a grande glória do dragão"], deixou, na sua página no facebook, uma mensagem para os adeptos portistas.

Eis a mensagem.

"A duas jornadas do fim, o Benfica tem todas as condições de se sagrar campeão. A reação do FC Porto, particularmente do seu treinador, tem sido errada e preocupante. Não faz qualquer sentido falar em “colinho” ou em “manto protetor” – essas lógicas não surgiram agora e o FC Porto soube sempre sobrepor-se a contextos desfavoráveis, tornando-se no clube português predominante nos últimos trinta e tal anos, praticamente desde que somos uma Democracia".

"Se nós, os portistas, sossegarmos nesse tipo de teses talvez consigamos aliviar as responsabilidades próprias mas não seremos capazes de perceber o que correu mal esta época – e erros semelhantes serão reincididos. Convém não esquecer que foi precisamente isso que os nossos adversários fizeram durante décadas, facilitando e consolidando as nossas hipóteses de vitória, sem nunca disso suspeitarem".

"Durante muitos anos, perante o ciclo consistente de vitórias azuis e brancas, forjou-se uma ´lenda encarnada` que recusava ver uma réstia de mérito nas nossas vitórias – o FC Porto ganhava tudo, diziam, porque ´eram os árbitros`, a organização do futebol, os ´Apitos Dourados` e toda uma parafernália de fantasias mal-amanhadas [omitindo sempre as vitórias internacionais do Porto] que tinham condão de confortar os adeptos encarnados mas que passavam ao lado do fulcro da questão: o FC Porto era vencedor porque tinha as melhores equipas, os jogadores com mais ´mística`, os melhores treinadores e uma estrutura de futebol incomparável em Portugal!".

"Não é coincidência que o Benfica só tenha conseguido triunfar quando abandonou as teses desculpabilizadoras e resolveu ser melhor do que os outros. A dois jogos do fim deste campeonato, o Benfica foi a equipa mais competente, melhor treinada e que falhou menos nos momentos chave – sobretudo nos jogos contra o Porto. Nós tivemos os melhores jogadores mas nunca fomos a melhor equipa. Lopetegui falhou clamorosamente do ponto de vista tático nos jogos decisivos. Usou e abusou do experimentalismo. Nunca soube transmitir segurança aos jogadores – pelo contrário, estes estavam em campo à imagem e semelhança do seu treinador: nervosos, inseguros, desconcentrados e sem capacidade de superarem adversidades imprevistas. O que não quero é que os adeptos do meu clube reajam à provável vitória do Benfica com a mesma fragilidade e estado de negação com que eles suportaram as nossas inúmeras vitórias – se assim acontecesse, esse seria, talvez, o seu maior triunfo. Por isso, se o Benfica vencer amanhã saibamos reconhecer as culpas próprias em vez de tentarmos enxergar razões diminuídas que só nos farão perder o futuro."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.