O treinador do União da Madeira, Ricardo Chéu disse hoje que encara o jogo com o Sporting, da segunda jornada do Grupo B da Taça da Liga em futebol, “com ambição”, olhando-o “como uma valorização” para a equipa.

Ricardo Chéu estreou-se no fim de semana ao comando do União da Madeira com uma vitória frente ao Famalicão (3-0), em partida a contar para a II Liga. O Sporting assume contornos dispares, mas isso não retira a ambição do técnico do conjunto madeirense.

"Temos que ser uma equipa ambiciosa, na perspetiva de nos valorizarmos como equipa, olhando para o Sporting com respeito", explicou.

Contudo, considera que o União da Madeira terá de ser olhado pelo Sporting "com desconfiança”, mesmo assumindo que houve pouco tempo para trabalhar o jogo: “Com cinco treinos, já iremos fazer dois jogos, o que torna prematuro trabalhar as nossas ideias de jogo".

Não obstante, tem a noção que "em condições normais, o Sporting é sempre favorito", mas adianta que "essa responsabilidade, o Sporting terá de provar em campo".

Ricardo Chéu adiantou ainda que o grande objetivo para este jogo "é adiar uma passagem para a próxima eliminatória da prova".

O União da Madeira terá de ser “pragmático na hora de finalizar” e "ter muita organização e critério", atuando "com um bloco coeso e mantendo sempre as linhas muito juntas, pois o Sporting é uma equipa com muita qualidade e muita dinâmica”.

O União da Madeira tentará "anular as características individuais dos jogadores do Sporting", sabendo que alguns deles "têm menos minutos e procurarão aproveitar a oportunidade", embora reconhecendo que todos eles terão "qualidade para representar aquele grande clube".

O técnico diz ainda estar identificado com “os processos coletivos” do Sporting, "pois o modelo de jogo é igual, só mudando as características dos jogadores".

Ricardo Chéu diz pensar saber “90% dos jogadores que irão jogar no Sporting”, acreditando “que isso será um fator positivo" a favor dos madeirenses. “Do lado do Sporting, haverá incertezas daquele que será o nosso onze”, acrescentou.

“O União da Madeira é ainda uma equipa com uma ideia de jogo por acabar, pois estamos num processo de transformação. Quando se contrata um novo treinador, procura-se a implementação de um novo modelo de jogo”, asseverou Ricardo Chéu.

Apesar de apontar o campeonato da II Liga como a prioridade, Chéu aponta este jogo como “uma boa oportunidade” para provar do que o União é capaz, esperando que, depois do jogo, a equipa seja apontada como um conjunto que joga “um futebol positivo".

O União da Madeira desloca-se quarta-feira ao Estádio José Alvalade, em Lisboa, onde, a partir das 21:15 horas, defronta o Sporting, em jogo relativo à segunda jornada do Grupo B da terceira fase da Taça da Liga.

As duas equipas partem para esta jornada com um ponto, já que o Sporting empatou a zero na receção ao Marítimo e o União da Madeira a um com o Belenenses, no estádio do Centro Desportivo da Madeira, na Ribeira Brava.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.