“Uma oportunidade de inverter o estado das coisas com mudanças a introduzir. O Sporting tem que voltar a ter prazer no futebol, exibições mais conseguidas, com uma equipa mais confiante para que isso seja expresso nos resultados”, frisou, voltando a elogiar Paulo Bento, que sofreu “a soberana ditadura dos resultados”.

Após as demissões, ao final da tarde, de Miguel Ribeiro Telles, vice-presidente do conselho de administração, e de Pedro Barbosa, director-desportivo, Rogério Alves considerou que isso não deixa Bettencourt abandonado.

“O José Eduardo Bettencourt não está sozinho, tem o apoio dos sportinguistas, que são milhares. Irá agora, e tem essa  obrigação ,refazer o que tem de ser refeito”, sublinhou, adiantando que “o caminho da recuperação só pode ser feito com tolerância e solidariedade”.

Fonte do Sporting quando contactado pelo Sapo Desporto disse que “ José Eduardo Bettencourt, apesar da convulsão, não se demite”.

Paulo Bento pediu, hoje de manhã, a demissão e Ribeiro Telles e Pedro Barbosa seguiram-lhe as pisadas ao final da tarde.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.