Abrantes Mendes rejeita o nome de Rogério Alves como uma ‘solução’ para o Sporting, face ao peso crescente do líder da Assembleia Geral da SAD entre as hostes leoninas.

«Rogério Alves é mais do mesmo… É uma solução que não vem contribuir com nada de bom. O Sporting precisa de uma ruptura. Não é a solução correcta, mas sim o perpetuar das dinastias. Rogério Alves desempenhou cargos e deu cobertura a soluções que degeneraram neste cenário», afirma o antigo dirigente do Sporting ao SAPO Desporto.

Questionado sobre a disponibilidade para assumir a liderança de um projecto alternativo numas futuras eleições - que poderão ser hoje confirmadas caso os órgãos sociais acompanhem José Eduardo Bettencourt -, o juiz e adepto sportinguista exclui-se da corrida… para já. 

«Estarei sempre na disposição para ajudar o Sporting, mas está fora dos horizontes para já. Ser candidato não é uma grande preocupação, a preocupação é tirar o Sporting do atoleiro em que está», frisa.

Sobre a reunião desta terça-feira dos órgãos sociais, o ex-dirigente acredita que o presidente da Mesa da Assembleia Geral do clube, Dias Ferreira, vai «deliberar pelas eleições». «A meu ver, o ideal seria em Março. Não se pode perpetuar a eventual substituição».

Sublinhando a saída do actual presidente como a «crónica de uma morte anunciada» e «inevitável», Abrantes Mendes refere ainda que a actual estrutura do futebol deve permanecer até se resolver o futuro do clube.

«Não se pode decapitar, goste-se ou não se goste dos elementos. A equipa tem de ter alguém no comando. Após o acto eleitoral tem de se tomar medidas, pois não se deseja uma evolução na continuidade».

Entretanto, os órgãos sociais do Sporting reúnem-se esta tarde, a partir das 18h00, em Alvalade, para discutir os próximos passos da sucessão a José Eduardo Bettencourt. 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.