O clássico entre Benfica e FC Porto aproxima-se e adivinha-se desde já um coro de assobios dirigido a Maxi Pereira, lateral que trocou os 'encarnados' pelos 'dragões' no último verão.

Neste sentido, o jornal O Jogo convidou Rúben Micael a aconselhar Maxi sobre a melhor forma de lidar com a situação. E porquê Rúben Micael? Porque em 2009/10 o médio português acusou Jorge Jesus de ter provocado confusão no túnel durante o intervalo de um Benfica-Nacional. Desde então que o jogador foi sempre assobiado no terreno do Benfica.

"No início de cada jogo era muito assobiado. No entanto, saía sempre para o aquecimento a sorrir, fazendo de conta que não se passava nada, e procurava ignorar ao máximo o ambiente", recordou.

"A maior dificuldade era bater os cantos. Como estamos mais perto, ouvia de tudo. O Maxi não vai bater cantos, mas vai fazer muitos lançamentos", lembrou, defendendo porém que "se o Maxi mantiver a concentração, poderá aguentar com 60 mil adeptos a assobiá-lo".

"Estou convencido que o feitiço se virará contra o feiticeiro e o Maxi terá um jogo tranquilo", defendeu o médio português, atualmente no Shijiazhuang Ever Bright.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.