Rui Costa falou pela primeira vez em entrevista desde que assumiu a presidência do Benfica.

Detenção de Vieira

"Fiquei perplexo, assim como qualquer benfiquista. Jamais poderia esperar passar aquela quarta-feira, que Vieira fosse detido. Como compreende, foi uma emoção dramática quando soubemos o que se passava com ele. Claro que desejei que fosse um equívoco. Na altura, a nossa perplexidade de mais uma busca mas pensando que era sobre os processos em curso. Não escondi que desde jogadores a funcionários foi um abalo completo".

Processo

"Até hoje não é acusado. Quer para ele, quer Benfica, continuamos na esperança que o processo não passe disto. Mas naquele dia foi dramático. Custou até a aceitar a todos o sucedido, demorámos a reagir. Parecia irreal, um filme... A minha esperança, quer para Vieira ou Benfica, é que o processo não passe disto."

Discurso sem falar de Vieira.

"(...) Acordei como diretor desportivo, fui para o Seixal, e acabei o dia como presidente (...) Compreendo que para muitos faça sentido, mas Vieira não foi excluído do Benfica, porque isso nunca será feito. A história dar-lhe-á os seus méritos. Mas naquele momento, e como ninguém está acima do Benfica, foi defender o clube de forma intransigente. Estávamos no Empréstimo Obrigacionista, a negociar com jogadores, e não o referir não era para excluí-lo mas para mostrar que não havia um vazio de presidências. Não houve intenção de excluir Vieira."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.