O internacional português do Sporting recordou o seu longo percurso no clube de Alvalade, e em entrevista à revista 'France Football' assumiu não saber do que o futuro lhe reserva.

"É verdade que é raro ver-se hoje em dia um jogador estar há tantos anos a jogar pelo mesmo clube. Eu já tenho dezassete anos de clube, o Sporting é a minha segunda casa e neste momento além de jogador sou também adepto. Mas não sei quanto tempo ficarei porque nunca sabemos o dia de amanhã. Se penso em terminar a carreira no Sporting? São coisas que não podemos controlar. Podia dizer que gostava, mas como lhe disse não sei o dia de amanhã e, sinceramente, isso é algo que não me preocupa", disse Rui Patrício em entrevista à revista 'France Football'.

Questionado sobre os elogios de Casillas e de Peter Schmeichel às suas exibições no Euro2016, Rui Patrício voltou a demonstrar o seu lado mais humilde e trabalhador ao rejeitar o estatuto de 'herói'.

"Não sou herói e nunca me senti como um herói após os jogos. Aliás, não gosto de falar de mim, mas quando ganhamos, ganhamos todos. O mesmo sucede quando perdemos. Nesse jogo da final todos tiveram um papel importante, os que jogaram e os que não jogaram, o treinador no banco... No meu caso, Anthony Lopes e Eduardo foram fundamentais, éramos três mas foi como de fossemos apenas um", disse o guarda-redes do Sporting sobre a final do Euro2016.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.