Rui Pinto terá implicado Luís Filipe Vieira num caso de alegada corrupção no Brasil, avança o jornal Observador.

Escreve aquele órgão que o presidente do Benfica estará implicado num esquema de corrupção, no âmbito da construção de um hotel no litoral do Recife em parceria com a Odebrecht, uma das grandes visadas na conceituada 'Operação Lava Jato', no Brasil.

O 'Observador' escreve que Rui Pinto terá descoberto provas da alegada corrupção, provas essas que já estão na posse de uma revista alemã e de um site brasileiro.

O informático, ex-hacker, descobriu alegados pagamentos de subornos realizados para viabilizar a construção do complexo turístico Reserva do Paiva, situado numa zona muito privilegiada do litoral do Recife, através de uma parceria entre o Grupo Promovalor, de Luís Filipe Vieira, e a Odebrecht.

Este complexo foi inaugurado em novembro de 2014 e terá custado 200 milhões de euros, sendo que 45 deles foram investidos apenas no hotel.

Ainda esta semana o Correio da Manhã escreveu que o grupo Grupo Promovalor, de Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, causou perdas de 225,1 milhões de euros no Novo Banco, entre agosto de 2014 e dezembro de 2018. Diz a mesma fonte que a dívida total do Grupo Promovalor ao Novo Banco ascendia a 760,3 milhões de euros no final de 2018, de acordo com uma auditoria especial ao NB.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.