Apelidado de 'mini-Messi', Ryan Gauld chegou a Portugal em 2014, onde diz ter vivido "um lado bom e um lado mau, que as pessoas realmente não veem", no Sporting, onde realizou apenas cinco partidas pela equipa principal em cinco anos.

"Uma das coisas que guardo do Sporting e das quais não gostei foi a forma como lidaram comigo. O lado positivo é que é um clube gigante, conhecido em toda a Europa, e ter feito parte disso durante alguns anos foi uma honra", afirmou o internacional sub-21 escocês.

"O mais duro foi o facto de as pessoas na Escócia e em Inglaterra esperarem que as coisas acontecessem logo, que entraria logo na equipa. O trio de meio-campo do Sporting venceu o Euro'2016 com Portugal - Adrien Silva, William Carvalho e João Mário - e desempenharam um grande papel. As pessoas não perceberam quão difícil seria para mim, mas dei tudo. Não tenho arrependimentos. A minha primeira época foi a melhor. Com 18 anos, jogava na Taça da Liga e marquei alguns golos saindo do banco. Na altura, pensei que era um grande início, mas houve uma mudança de treinador, e o novo não gostava de mim", acrescentou.

"Foi gradual. Passei dois anos na equipa B, depois fui emprestado, mas chamaram-me de volta, porque o Sporting se chateou com a equipa onde estava. Depois, empurraram-me para a equipa B e comecei a pensar 'Talvez não vá funcionar aqui'. Na pré-época, fui colocado no grupo de dispensados", concluiu.

Ryan Gauld tem contrato com os leões até junho de 2021, estando atualmente emprestado ao Farense, que subiu recentemente à I Liga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.