O resultado diz respeito à diferença entre os proveitos (16,350 milhões de euros) e os custos totais (18,860 milhões de euros) e significa um aumento de 180 mil euros em relação ao exercício da época 2007/08 (resultado negativo de 2,331 milhões de euros).

Nota de realce para o facto de a SAD bracarense ter praticamente duplicado os proveitos (8,722 milhões de euros em 2007/08), mas ao mesmo tempo ter visto aumentar em 62 por cento os custos totais (11,726 milhões na época anterior).

Na base das despesas terem atingido quase 19 milhões de euros, está o significativo aumento dos custos com o pessoal (9,965 milhões de euros face a 6,372 milhões na época anterior).

Para o aumento dos proveitos contribuiu o facto da alienação dos direitos desportivos (passes de jogadores) ter subido exponencialmente em relação à época anterior: cerca de 385 mil euros em 2007/08, quase 5,5 milhões de euros em 2008/09, sendo que não foram contabilizadas as vendas de César Peixoto (Benfica) e de Frechaut (Metz).

Este é o segundo ano consecutivo que a SAD "arsenalista" dá prejuízo, para o que muito terá contribuído o facto da meta de vendas de passes de jogadores estabelecida no defeso pelo presidente António Salvador, 10 milhões de euros, não ter sido alcançada.

O passivo bancário da sociedade atingiu no exercício 8,7 milhões de euros, sendo que 1,3 já foram entretanto liquidados.

A SAD do Braga reúne hoje em Assembleia Geral, para discussão e votação das contas do último exercício.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.