A administração da SAD do Sporting vai recusar o aumento salarial dos seus elementos, na proposta que será votada em Assembleia-geral. A informação foi avançada por Francisco Salgado Zenha, administrador da SAD do Sporting, em entrevista à 'Rádio Observador'.

"O clube vai aceitar a proposta [de aumento salarial dos administradores], mas o conselho de administração vai abdicar neste momento. Não vai receber nem mais um cêntimo do que no ano passado. Temos de ser coerentes, é preciso que haja ajustamentos nos bastidores, mas não queremos passar a imagem de que estamos aqui por dinheiro", sublinhou.

Salgado Zenha: "Se a cada bola na barra se coloca o plano desportivo em causa, será mais difícil"
Salgado Zenha: "Se a cada bola na barra se coloca o plano desportivo em causa, será mais difícil"
Ver artigo

O ‘vice’ sportinguista vincou esta posição, considerando que "não fazia sentido nenhum receber os mesmos valores que os jogadores de futebol".

"O que acontecia com o conselho de administração anterior é que recebia o mesmo que o Bruno Fernandes. Ou seja, nós, no ano passado, poderíamos ter recebido o mesmo variável que o Bruno Fernandes, mas não achámos que isso fizesse sentido. Abdicámos", disse.

Na mesma entrevista á 'Rádio Observador', o administrador da SAD leonina explica o aumento salarial visava "profissionalizar a estrutura".

Acionistas do Sporting exigem retirada de proposta de aumento salarial para administração
Acionistas do Sporting exigem retirada de proposta de aumento salarial para administração
Ver artigo

"Há uma comissão acionista independente que faz uma proposta com base na análise do que deve ser o pacote de remuneração do conselho de administração. Essa proposta tem como objetivo aumentar os salários de todos os colaboradores, não só da administração, porque queremos fazer aquilo que para nós faz sentido, que é profissionalizar a estrutura. Não podemos ter jogadores muitíssimos bem pagos e depois toda a gente que está nos bastidores está insatisfeita e desmotivada porque é mal paga. Nós não estamos aqui por dinheiro, quero salientar que recebemos menos do que o conselho de administração anterior. Abdicámos do prémio variável, que não fazia sentido nenhum. Não estamos à procura de dinheiro", explicou.

De acordo com a proposta, foi sugerido que "o ordenado do presidente passasse de 188 mil para 273 mil euros e dos administradores de 139 mil para 196 mil euros".

A Assembleia-Geral do Sporting SAD está marcada para esta terça-feira, dia 1 de outubro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.