O treinador do Boavista disse esta sexta-feira que é preciso alguma "precaução" frente ao Paços de Ferreira, "uma boa equipa" que os ‘axadrezados’ defrontam no domingo para a 21.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

"Temos de ter algum tipo de precaução relativamente ao Paços neste jogo, saber as nossas limitações e ser realistas face ao que somos neste momento", completou Sanchez, que ressalvou, uma vez mais, que "não é a mesma coisa trabalhar seis meses com os mesmos jogadores que trabalhar dois ou 45 dias”.

Na antevisão desse jogo, Erwin Sanchez afirmou que o Boavista pretende manter-se fiel à sua ideia de jogo.

"A nossa ideia é manter uma identidade própria. Não podemos fugir muito do que temos feito, porque ainda não estamos rotinados a fazer certos movimentos e não podemos dar espaços à equipa adversária e ficarmos desprotegidos em algumas zonas, pois ainda não somos devidamente fortes como eu gostaria", explicou.

A identidade de que fala Sanchez passa, segundo ele, por ter "mais tempo posse de bola, ter uma eficácia de 90%, não ter medo de jogar seja onde for" e conseguir que os jogadores estejam de uma "maneira mais solta dentro do campo".

O Boavista entrou com o pé direto na segunda volta e saiu da zona de despromoção, com duas vitórias (Setúbal e Tondela) e um empate (Braga), e o técnico realçou que a sua equipa tem de "trabalhar muito se quiser que esta sequência de bons resultados seja maior".

"Para isso, temos de manter os pés bem assentes no chão, pensando que vamos defrontar mais uma boa equipa, que pratica um bom futebol e que nos últimos anos tem feito campeonatos agradáveis", completou.

Para o jogo com os pacenses, Sanchez tem de voltar a mexer no meio-campo, porque, além de não poder contar com Tengarrinha, que recupera de uma lesão grave, Idris e o polivalente Hackmam estão castigados.

O treinador desvalorizou as ausências, referiu que tem "alternativas", acrescentou que "a competição entre cada um deles tem sido boa e a grande beneficiada é a equipa" e considerou que as lesões e os castigos fazem parte do futebol.

"Para nós é um problema, para os jogadores é uma oportunidade. Aqueles que vão entrar para esses lugares vão saber fazer bem ou melhor do que aquilo que os seus colegas tinham feito nos jogos anteriores", afirmou.

Ainda sobre essas baixas, o técnico acrescentou que quando assumiu funções como treinador boavisteiro disse aos jogadores que "o campeonato dá muitas voltas e todos vão ter uma oportunidade e essa oportunidade tem que ser bem aproveitada".

"Os dois jogadores que vão ocupar o lugar do Idris e do Hackmam têm agora a sua oportunidade e têm de mostrar o valor que acreditamos que eles têm", reforçou.

A boa notícia é o regresso do médio nigeriano Reuben Gabriel, que cumpriu um jogo de castigo frente ao Braga, e Sanchez admitiu utilizar Mario Rodriguez diante do Paços de Ferreira.

O Boavista,16.º classificado, com 17 pontos, joga no domingo com o Paços de Ferreira, 5.º, com 30 pontos, para a 21.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, num encontro agendado para as 16:00, no Estádio Capital do Móvel, em Paços de Ferreira, com arbitragem de João Capela, de Lisboa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.