O treinador do Boavista afirmou hoje que a sua equipa var ter "mais alegrias do que tristezas" na segunda volta da I Liga portuguesa de futebol, que para os ‘axadrezados’ começa na segunda-feira frente ao Vitória de Setúbal.

Na antevisão desse jogo com os sadinos, Erwin Sanchez referiu que está ser feito "tudo o que é possível para começar a segunda volta de uma maneira diferente".

"Tenho a certeza que vamos ter mais alegrias do que tristezas na segunda volta. É muito importante termos os adeptos connosco e estamos fazer tudo para que eles estejam contentes com o seu clube. Isto só muda com vitórias e é disso que andamos à procura", completou.

O Boavista vem de uma derrota frente ao FC Porto (1-0) para a Taça de Portugal, na quarta-feira passada, mas Sanchez admite que exibição realizada na segunda parte desse jogo dá alguma confiança para o embate com o Setúbal.

"Por momentos ou em quase toda a segunda parte fizemos um jogo aceitável, os adeptos ficaram contentes com a prestação da equipa e isso foi bom porque de alguma maneira moraliza os jogadores. Eles começam a acreditar que têm capacidade e qualidade para fazer bons jogos e que os resultados começarão também a aparecer", sustentou.

A verdade é que o Boavista parte para segunda volta no 17.º lugar, com 10 pontos, e a história diz que precisará de 30 pontos para não descer.

"Temos capacidade e qualidade para conseguirmos esses pontos", disse Sanchez, acrescentando que o objetivo é "ter uma equipa base" e evitar lesões para assim "poder trabalhar com a maior quantidade de jogadores, o que faz com que a equipa seja beneficiada pela competitividade que tem de existir dentro do plantel".

O técnico ‘axadrezado’ quer "uma equipa compacta e amealhar a maior quantidade de pontos na segunda volta, começando isso já nesta segunda-feira".

"Já conversámos com os jogadores e eles sabem da importância desta segunda volta. Desde que cheguei, disse que queria uma equipa agressiva, com coragem tanto em casa como fora. A espaços, em determinados jogos, temos conseguido ter um bom funcionamento como equipa. Só que temos de fazer com que esses espaços sejam mais contínuos em todos os jogos", explicou.

Sanchez disse ainda que quer "uma equipa flexível, que se possa adaptar rapidamente aos diferentes momentos do jogo".

"A que a ideia já foi passada, importando agora ter essa qualidade de jogo durante mais tempo", acrescentou.

O treinador realçou que o Setúbal tem ganho mais pontos fora do que em casa (13, num total de 22), "está a fazer um bom campeonato e tem uma estrutura já sólida".

"Vamos defrontar uma equipa forte, que está a atravessar um bom momento e tem um meio-campo forte, mas vamos tentar contrariar tudo isso, pôr as nossas armas em campo e tentar ganhar os pontos em disputa", afirmou.

Afonso Figueiredo, Luisinho e Paulo Vinícius ficaram fora do jogo com o FC Porto, por motivos físicos, mas já recuperaram e estão aptos, segundo informou Sanchez.

Os reforços Iriberri, avançado, e Mario Martinez, médio, ainda não têm a sua situação legalizada.

O Boavista, 17.º classificado, com 10 pontos, recebe na segunda-feira, às 20:00, o Vitória de Setúbal, nono, com 22 pontos, num jogo da 18.ª jornada da I Liga Portuguesa de futebol que será dirigido por Carlos Xistra, de Castelo Branco.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.