O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, contratou um guarda-costas ilegal à empresa de segurança SPDE para a deslocação a Cinfães, escreve esta terça-feira o diário Correio da Manhã.

Segundo avança o referido jornal diário, Pinto da Costa fez-se acompanhar de um segurança ilegal na deslocação a Cinfães para as comemorações do 10º aniversário da casa do FC Porto na vila do Distrito de Viseu com fortes ligações ao Douro. Este homem pertence à empresa de segurança SPDE, que se encontra neste momento envolvida no processo Operação Fénix. O caso foi de imediato participado pela PSP aos magistrados que investigam esta Operação, dando origem a mais uma queixa-crime.

De acordo com as informações veiculadas pelo mesmo jornal, Esta não foi a primeira vez que Pinto da Costa pediu à SPDE para lhe fazer segurança pessoal. Já antes o presidente do FC Porto se fez acompanhar de membros de segurança ilegais. Um deles foi Eduardo Silva que acompanhou o dirigente portista, antes de um encontro com o Benfica.

Recorde-se que a Operação Fénix reúne, por agora, 13 arguidos que aguardam julgamento em prisão preventiva.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.