O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, disse hoje que ainda acredita na reconquista do título português de futebol, numa altura em que faltam duas jornadas para o fim da I Liga, apesar de estar consciente das dificuldades.

O treinador dos ‘dragões' explicou que enquanto for "matematicamente possível" todo o grupo acredita que pode chegar ao fim em primeiro lugar, mas admitiu que o empate 2-2 em Vila do Conde, frente ao Rio Ave, "complicou o percurso", que prossegue no domingo, no estádio do Nacional, em jogo da 33.ª e penúltima jornada.

"É possível vencermos o campeonato. Temos dois jogos e temos de os ganhar. Depois temos de ver o que acontece nos outros. Não depende só de nós. Pensamos que é possível, senão não íamos à Madeira sequer dar despesas ao clube", frisou o técnico da equipa campeã nacional, em conferência de imprensa.

Sérgio Conceição não espera facilidades no estádio da equipa madeirense, tendo em conta que o Nacional ainda luta pela manutenção, ocupando o 17.º e penúltimo lugar da prova, mas não admitiu outro cenário que não a vitória, até porque tem dois pontos de desvantagem para o Benfica, líder do campeonato.

"É um campo tradicionalmente difícil e nós temos que estar preparados. Vamos com o intuito de conquistar os três pontos. É uma final para eles, como é uma final para nós, de acordo com os objetivos de cada um", lembrou.

A pressão dos últimos dois jogos do campeonato não é algo que preocupe o treinador da equipa ‘azul e branca', até porque isso é algo que, admitiu, "se sente quando se trabalha num clube como o FC Porto".

"Quando iniciamos o nosso trajeto num clube como o FC Porto estamos sob a pressão de ganhar todos os jogos. Nas competições internas, então, temos que assumir essa responsabilidade naturalmente. Num clube como o FC Porto temos sempre essa pressão em todos os jogos que fazemos", observou.

Sérgio Conceição abordou ainda a ausência do médio mexicano Herrera do lote dos convocados, devido a castigo.

"Os jogadores são todos diferentes. Naquilo que é a nossa dinâmica, ele tem jogado muitas vezes. Não estando ele, estará outro jogador, se calhar mudando um pouco essa dinâmica. Nunca me queixei de ausências, nunca me viram queixar por o nosso melhor marcador do ano passado não estar durante quase toda a época. Vamos tentar dar uma resposta positiva", explicou.

À margem do jogo, Sérgio Conceição falou da situação que aconteceu no final do encontro com o Desportivo das Aves, na jornada anterior, em que o plantel portista não celebrou com os adeptos a vitória, o que levou algumas centenas de pessoas a ficarem nas bancadas até o grupo se deslocar novamente ao relvado.

"Não é só o Sérgio Conceição que não gosta de perder. Na minha opinião foi uma reconciliação de posições. As pessoas sabem que os adeptos não gostam de perder e nós também não. A forma como se manifestam é que se pode julgar. Já disse que não gostei do que aconteceu no final do jogo com o Rio Ave. O importante era tirar dessa situação um compromisso. E foi isso que aconteceu. O compromisso de os adeptos apoiarem, como sempre, e de nós darmos tudo, como sempre. O resto é tudo treta", assinalou.

O treinador portista foi ainda questionado sobre a possibilidade de estar insatisfeito com o desempenho da equipa esta época e garantiu que "só estaria se fosse estúpido", lembrando o percurso que já fizeram esta época.

Se eu fosse na onda do que muitas vezes a imprensa escreve ou do que as pessoas dizem, se calhar era capaz de pensar nisso. Só se eu fosse estúpido. O ano passado chegámos à meia final da Taça da Liga, este ano chegámos à final. No ano passado chegámos à meia final da Taça de Portugal, este ano estamos na final. No ano passado fomos até aos oitavos da Liga dos Campeões, este ano estivemos nos quartos. No ano passado lutámos pelo campeonato até ao fim, este ano estamos a lutar pelo campeonato até ao fim. Não tenho mais nada a dizer", atirou.

Sérgio Conceição, que se manifestou satisfeito com a época realizada pelo FC Porto, foi ainda questionado sobre se tem vontade de sair do clube no final da época: "Fala-se de muita coisa. E a melhor coisa é não abrir a boca. No final da época falaremos. Fica a promessa", afirmou.

O FC Porto, segundo classificado, desloca-se no domingo à Madeira para defrontar o Nacional, 17.º colocado, em jogo da 33.ª e penúltima jornada da I Liga de futebol , com início às 17:30 horas,

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.