Declarações de Jorge Silas, na conferência de imprensa, após a derrota do Sporting diante do Gil Vicente, na 12.ª jornada da I Liga.

Explicações para a derrota: "O primeiro golo é uma oferta nossa que não pode acontecer a este nível, estamos a jogar na I Liga e com ofertas destas os adversários fazem golo. Acabam por ser dois erros que nos penalizam muito. Depois já se sentiu muita instabilidade emocional. Custa-nos muito reagir à adversidade e cada vez que estamos em situação de desvantagem custa-nos bastante. Mas não podemos ser equipa só quando estamos a ganhar. Assim é fácil ser equipa e jogador. Não jogamos sozinhos, jogamos contra boas equipas. Não podemos ter esta instabilidade emocional depois de estarmos em desvantagem. A partir dos oito minutos, praticamente deixámos de fazer tudo o que tínhamos trabalhado e pensado. Acabámos por sofrer o último golo. Já estava no final, mas é sempre mais um golo"

E como explica esse bloqueio mental da equipa? "Tem muito a ver com cansaço, tanto físico como psicológico. Deveríamos ter sido mais efetivos a nível de oportunidades de golo. A partir do minuto 8 da segunda parte deixámos de fazer o que tínhamos combinado e preparado. Depois, cada um a querer fazer aquilo que lhe apetece, a querer jogar à sua maneira. Assim não há equipa que resista. Temos de manter a estabilidade durante mais tempo, a nível de jogos, de jogos seguidos. Depois deste bloqueio mental, também ligado ao cansaço, temos de tentar trabalhar com isto e com o que somos".

Como corrigir estes erros? "Gostava de lhe dizer que íamos ganhar os jogos todos até ao final da temporada, mas a verdade é que eu próprio não espero jogos destes, como o que tivemos hoje [domingo]. Em lances inofensivos cometemos estes erros, nos últimos jogos praticamente não sofremos golos, mas depois sofremos assim, não foram propriamente golos criados pelo adversário, como todo o respeito pelo Gil, é mais difícil de explicar. Temos de os trabalhar, mas este tipo de erros paga-se caro. Como é que se trabalham? Não é fácil, mas eu acho que se trabalha com vídeos, mostrar erros que cometemos, para ver se paramos de cometê-los e também com muita bola. Acho que a bola nos dá muito equilíbrio".

O Sporting fora da corrida ao título? "Não sei por que lugar é que vamos lutar, mas o primeiro começa a ficar difícil, temos 13 pontos de atraso para o primeiro classificado. Não dependemos só de nós e quando assim é, é mais difícil. Faltam muitas jornadas, nós vamos perder pontos, eles vão perder pontos... A situação já era complicada, vamos jogo a jogo e ver se conseguimos criar estabilidade emocional na equipa. Se formos estáveis emocionalmente, dificilmente somos batidos. Digo isto aqui e na Europa. Não podemos perder essa estabilidade emocional. Podemos ser uma equipa de topo, como fomos na quinta-feira. Até podíamos ter perdido, mas se fossemos mais equipa durante os 90 minutos, o jogo poderia ter sido outro".

Bruno Fernandes disse que faltou atitude: "Honestamente não ouvi, quando acabam os jogos temos tendências muito emocionais. Temos que ser equilibrados e neste momento esperar um pouco, analisar melhor o jogo para depois percebermos o que aconteceu. O Bruno é o capitão e conhece esta equipa melhor do que eu. Temos de analisar melhor o jogo e, depois, ver o que podemos melhorar".

Renan fora dos convocados: "O Renan ressentiu-se um pouco, não estava a 100 por cento e decidimos deixá-lo fora dos convocados".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.