Numa extensa entrevista à ESPN Brasil, Tiquinho Soares passou a sua carreira em revista, desde os momentos em que trabalhava “como servente de pedreiro” até à conquista da dobradinha na última época pelo FC Porto.

"Foi uma época difícil no sertão da Paraíba, passando dificuldades junto com os meus pais. Ajudei de várias formas. Eu e minha irmã vendíamos sacolé e gelinho [espécies de gelados] para ajudar os nossos pais que trabalhavam. Nos sábados havia jogos, a minha mãe fazia e íamos vender para o campo de futebol", contou o avançado.

A paixão pelo futebol chegou mais tarde. "Ser futebolista não era uma ambição que tinha enquanto jovem, mas depois que fui para Natal comecei a jogar nos campos de barro e acabei a gostar. Depois, em 2008 fui o melhor marcador na minha primeira competição. Aí, o futebol virou a minha cabeça", revela.

O avançado brasileiro terminou a última temporada com um total de 19 golos apontados: "Às vezes fazemos metas de golos. Fiz 23 no ano passado, no anterior fiz 21. Este ano fiz 19, não sou um Cristiano Ronaldo da vida, mas procuro fazer o máximo de golos possível... Os avançados vivem de golos. Eu tive altos e baixos, mas fico feliz pela minha temporada."

Tiquinho Soares admite ainda que o Benfica se tem reforçado bem no mercado de transferências. "Eles está a reforçar-se bem. Acredito que o FC Porto também fará isso e que vença o melhor na próxima temporada. O futebol português agradece. Teremos grandes jogos", disse.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.