Na antevisão da partida com o Belenenses, Jorge Jesus reconheceu que vivia uma situação apertada. Os "leões" só podiam conjugar um verbo no Restelo: Ganhar ou ganhar. Sem os três pontos e depois das vitórias de águias e dragões era imperativo para a equipa de Jorge Jesus voltar a somar três pontos depois de duas derrotas na Liga.

Resposta das claques

Depois da Juventude Leonina ter marcado presença em Alcochete num treino da equipa, os adeptos dos "leões" disseram presente numa noite fria do Restelo e apoiaram a equipa do primeiro ao último minuto.

Jogo

Depois dos últimos resultados e perante a indisponibilidade de Rúben Semedo e Rui Patrício, Jorge Jesus mudou praticamente meia equipa. Na baliza, Beto ficou entre os postes. Na defesa, só Coates manteve o lugar. Entraram Jefferson, Esgaio e Douglas. Só no miolo se manteve tudo na mesma, com Bryan Ruiz a descer no terreno. Alan Ruiz foi o escolhido para fazer companhia a Bas Dost no ataque.

Primeiro Tempo

Com a obrigação de somar os três pontos, os "leões" responderam com atitude nos primeiros minutos no dérbi frente aos azuis do Restelo. Gelson foi o primeiro a criar perigo logo aos cinco minutos com um remate rasteiro. Bryan Ruiz respondeu um minuto depois, mas atirou fácil para as mãos de Joel.

Com dificuldades em penetrar na área da equipa da casa, a equipa forasteira apostava na meia distância. Alan Ruiz, do meio da rua tentou surpreender, com a bola a passar muito perto da barra. O leão dominava, mas circulava o esférico de forma lenta. Na hora de definir na frente, os jogadores dos "leões" decidiam mal, com vários passes errados.

No final da primeira parte, a equipa de Alvalade apanhou um valente susto. Contra-ataque do Belenenses, com André Sousa a aparecer frente a Beto. A bola chegou aos pés de Sturgeon, que não conseguiu bater Beto.

Na segunda-parte, os "leões" entraram com vontade de marcar golo o mais rapidamente possível.

O Sporting precisava de imprimir mais velocidade ao seu jogo e Jorge Jesus fez entrar Campbell para o lugar de Bryan Ruiz. O costariquenho entrou de forma acutilante e começou a criar problemas à defensiva azul.

Aos 58 minutos, Gelson esteve muito perto do golo com um remate às malhas laterais. Um minuto volvido, foi Coates a cabecear com muito perigo.

Aos 65 minutos, o Sporting teve soberana ocasião para ganhar vantagem no marcador. Livre apontado por Adrien, com a bola a bater caprichosamente na barra.

Com o avolumar dos minutos, um nervoso miudinho ia tomando conta da equipa de Alvalade. Natural para uma equipa que vinha de duas derrotas.

O conjunto verde-e-branco balanceava-se para o ataque e com isso abria espaços. Sturgeon primeiro, ao minuto 74, com um remate ao poste e João Diogo podiam ter marcado para o Belenenses. No segundo lance, valeu Beto a evitar.

O Sporting tentava tudo para chegar ao golo. Jesus fez entrar Castaignos e depois Bruno César, para os lugares de Alan Ruiz e William Carvalho.

Mais com o coração do que com a razão, os leões tentavam tudo para dar pelo menos os três pontos como prenda de natal aos seus adeptos.

Quaando se pensava que o Sporting ia perder pontos novamente, já em tempo de compensação, Bas Dost deu a tão desejada prenda aos “leões”. O avançado dos “leões” finalizou da melhor forma após um cruzamento da esquerda.

Com este triunfo, os leões somaram três pontos e estão a oito pontos do Benfica e quatro pontos do FC Porto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.