Após a final da taça de Portugal, o presidente Godinho Lopes deverá provocar eleições no Sporting como forma de resolver a divisão existente na atual direção, segundo avança hoje o jornal O JOGO.

Neste momento e devido ao caso Paulo Pereira Cristóvão a atual direção encontra-se dividida, o que torna insustentável a sua continuidade.

De acordo com o mesmo jornal, o ato eleitoral ocorrerá no mês de julho e dirá apenas respeito ao Conselho diretivo, sendo que os restantes órgãos eleitos (Conselho Leonino, Mesa da Assembleia Geral e Conselho Fiscal e Disciplinar) manter-se-ão até ao final do presente mandato.

Provocado o ato eleitoral, o presidente da Mesa da Assembleia Geral tem 45 dias para promover novo ato eleitoral.

Com este ato, Godinho Lopes procura “limpar” da sua direção os elementos que estão a causar a cisão existente, isto é, Paulo Pereira Cristóvão e os seus apoiantes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.