A equipa vila-condense, que ainda não venceu para o campeonato, é "laterna vermelha" da prova com apenas dois pontos. Por isso, o treinador não afasta um cenário de alguma pressão.

«Há momentos em que os jogos se tornam mais importantes. É o caso deste, pois ainda não ganhamos e estamos no último lugar. Temos de assumir essa pressão, mas ela não nos pode condicionar os movimentos, nem a capacidade de jogar», disse Carlos Brito.

O técnico considera, por isso, que os três pontos «são fundamentais para que o fosso em relação às outras equipas não se vá alargando» e vincou que «um triunfo irá encaminhar a equipa para uma fase positiva».

Apesar de defrontar um adversário que, no último fim de semana, foi eliminado da Taça de Portugal por uma equipa de um escalão inferior, Carlos Brito não espera facilidades.

«Espero um Leiria forte e que, independentemente de ter sido eliminado da Taça de Portugal, vem de uma vitória no campeonato, frente ao Braga, que certamente moralizou», sublinhou o técnico do Rio Ave.

Apesar da indisponibilidade de Jean Sony e Tiago Pinto, ambos castigados, e dos lesionados Gaspar, Braga e André Vilas Boas, o treinador já vai poder contar com Éder e Saulo, que hoje regressaram aos trabalhos.

De referir ainda que, ao contrário do habitual nos jogos em casa, os convocados para o compromisso com a União de Leiria vão concentrar-se em estágio, numa unidade hoteleira da cidade, a partir de sábado.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.