“Temos de ser unidos e ambiciosos, condição para poder ultrapassar um adversário que não vai dar tréguas, jogos de Taça são diferentes, contudo esta partida de certa forma é uma forma de reabilitação das duas equipas” vincou o técnico da Naval 1º de Maio.

Perspectivando a partida com a formação insular, afirmou que “vai ser um jogo de ‘mata-mata’ em que as equipas têm de apresentar uma postura diferente”, porque “o que estará em causa não são os pontos mas sim a continuidade na prova”.

Naval e Marítimo defrontam-se no próximo domingo na Figueira da Foz, pelas 15 horas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.