José Couceiro não compareceu na flash interview logo após a goleada aplicada pelo FC Porto ao Vitória de Setúbal. O técnico sadino foi expulso por reclamar falta no primeiro golo dos ´azuis-e-branco`. Tiago Maia, seu adjunto, não tem dúvidas: essa decisão condicionou o jogo.

Análise ao jogo: "O jogo acaba por ser condicionado pelo primeiro lance e pela expulsão do mister [Couceiro]. Temos a perceção que houve um toque no Edinho, foi falta para nós, o mister protestou para o lance ser visto pelo árbitro. Se o árbitro fosse ver, podia decidir ele. Para nós houve falta e esse lance condiciona o jogo todo".

Expulsão de Couceiro: "Não acho que [a expulsão] tenha sido justa. O mister [Couceiro] nunca foi expulso na Liga, todos sabem que é uma pessoa corretíssima. Sentimos e protestamos, mas não foi nada de excessivo. Houve excesso do árbitro, não havia necessidade de expulsar o treinador".

Jogo difícil: "Obviamente que estes jogos são especiais, mas sempre difíceis para nós. Temos de estar bem e ter um pouco de sorte, a diferença entre as equipas é grande. Até começamos bem, tivemos uma boa oportunidade com Edinho, o jogo estava equilibrado até ao lance do primeiro golo que tornou tudo mais difícil para nós."

O FC Porto venceu o Vitória de Setúbal na 14ª jornada da Primeira Liga por 5-0 e igualou o Sporting na liderança do campeonato. Os 'dragões' resolveram a partida logo nos primeiros 45 minutos da partida com três golos de autoria de Aboubakar (dois) e um de Marega. No segundo tempo, em modo de gestão, a equipa de Sérgio Conceição aumentou a vantagem com Aboubakar a chegar ao 'hat-trick' e o bis de Marega. José Couceiro foi expulso por protestos ainda na primeira parte numa noite muito ventosa em Setúbal.

Veja o resumo do jogo

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.