“É um acordo que me deixa particularmente feliz. A Naval é o clube que eu dirijo, a Tocha é o clube da terra onde nasci e que eu ajudei a levar aos escalões nacionais, aos dois clubes ligam-me fortes laços emocionais”, disse Aprígio Santos, presidente da Naval.

O dirigente navalista disse pensar que "Naval e Tocha ficarão a ganhar com este acordo", realçando que, além da proximidade geográfica, "existe ainda um excelente relacionamento entre direcções”.

“O Tocha, detentor de excelentes infra-estruturas desportivas, é o clube ideal para que os jovens que terminam a formação na Naval possam rodar e ser observados a fim de aferir a sua evolução em termos de futuro”, expressou.

O dirigente navalista admitiu ainda a possibilidade de contratar mais um ou dois jogadores entre os jovens talentos do futebol nacional e colocá-los a rodar no agora clube satélite militante dos quadros nacionais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.