O antigo médio internacional Toni, colega de Rui Jordão no Benfica e na seleção portuguesa, lamentou hoje a morte de um “homem bom” e de um jogador que “marcou o futebol português nas décadas de 70 e 80”.

“Era um jogador de grande qualidade com quem partilhei no Benfica e na seleção bons momentos. Deixa boas recordações. Como homem, era um homem bom, de valores e princípios. O futebol português perde um dos seus grandes vultos”, disse Toni, em declarações à Lusa.

O ex-futebolista internacional português Rui Jordão morreu hoje, aos 67 anos, disse à agência Lusa fonte do Hospital de Cascais, onde o antigo avançado estava internado, em consequência de problemas cardíacos.

“O Jordão marcou o futebol português nas décadas de 70 e 80. É uma dor imensa que sinto. Eu e todos aqueles que têm paixão pelo futebol, independentemente das cores clubísticas. É uma perda de um jogador fantástico e de um homem bom”, referiu o ex-futebolista.

Jordão, natural de Benguela, destacou-se no Benfica, clube no qual iniciou a carreira, em 1971/72, e no Sporting, tendo disputado 43 jogos pela seleção portuguesa e marcado 15 golos, dois dos quais no Europeu de 1984, no qual Portugal foi eliminado nas meias-finais.

“É uma hora de dor. Tinha falado com ele, sabia do seu estado. Sabia que estava muito debilitado, mas pensei que pudesse ultrapassar esta fase complicada que estava a viver”, concluiu Toni.

Jordão, que jogou também no Saragoça e no Vitória de Setúbal, onde terminou a carreira, em 1988/89, foi melhor marcador do campeonato português nas épocas 1975/76 e 1979/80, tendo conquistado seis títulos de campeão nacional, três Taças de Portugal e uma Supertaça

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.