O treinador do Vizela, Álvaro Pacheco, projetou hoje um “jogo difícil e equilibrado” com o Arouca, que pode ser decidido “no pormenor”, a contar para a 12.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, no sábado.

Depois do empate no terreno do Boavista (2-2), os minhotos ocupam o 12.º lugar, com 12 pontos, e sentem-se “preparados” para enfrentar uma equipa “mais madura” face à época transata, que tem feito um “excelente campeonato”, ocupando a nona posição, com 16, frisou o ‘timoneiro’ vizelense.

“Vai ser um jogo difícil e equilibrado. O pormenor vai ser decisivo para o resultado. Espero que os meus jogadores sejam capazes de controlar o jogo e de conseguir a vitória”, disse, na conferência de imprensa de antevisão ao desafio marcado para as 15:30 de sábado, em Vizela.

O técnico reconheceu que o Arouca é “uma equipa matreira” e “inteligente”, que sabe “gerir muito bem o jogo”, “ser agressiva” e “jogar no erro do adversário em determinados momentos”, fruto do trabalho do seu treinador, Armando Evangelista, mas defendeu que o Vizela também está “melhor” face a 2021/22, época em que voltou ao escalão principal.

Ciente de que o Vizela precisa de “melhorar no último terço para aproveitar as oportunidades” e somar mais pontos, Álvaro Pacheco pediu aos seus jogadores para “continuarem a investir” no processo de jogo até agora trabalhado, mantendo a crença de que os golos vão “aparecer naturalmente”, após nove tentos nas 11 primeiras jornadas.

“Ficava mais preocupado se não criássemos oportunidades. Os golos vão acontecer. Se olharmos para os jogadores da frente [pontas de lança], são novos na I Liga. Ainda estão numa fase de adaptabilidade”, referiu.

Na ronda anterior, o conjunto minhoto esteve a vencer por 2-1, antes de cometer dois penáltis que valeram a igualdade aos ‘axadrezados’, mas o treinador enalteceu a “tomada de decisão” e a “coragem” do defesa Bruno Wilson no primeiro penálti, considerou inexistente o segundo, de Anderson sobre Yusupha, e enalteceu a “maturidade” depois exibida com 10 elementos, após expulsão de Guzzo, ao minuto 83.

“Ficou comprovada a tranquilidade e a maturidade [da equipa]. Mantivemo-nos tranquilos e serenos a jogar com menos uma unidade”, vincou.

O técnico elogiou ainda o “crescimento” até agora exibido pelos seus jogadores, entre os quais o guarda-redes Buntic, que defendeu a segunda grande penalidade no Estádio do Bessa, mas os seus pupilos não podem “estar satisfeitos com os patamares em que estão”, lembrou.

O Vizela, 12.º classificado da I Liga portuguesa, com 12 pontos, recebe o Arouca, nono, com 16, em jogo agendado para as 15:30 de sábado, no Estádio do Futebol Clube de Vizela, com arbitragem de Miguel Nogueira, da Associação de Futebol de Lisboa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.