"A vitória assenta-nos que nem uma luva, mas se desse um empate não escandalizaria", observou Paulo Sérgio, que elogiou a prestação do Rio Ave.

"Dou mérito por nos ter contrariado o jogo, mas o Vitória correu 90 minutos, o Rio Ave correu 45 minutos, o Vitória procurou sempre o segundo golo, não geriu bem o jogo, quis sempre atacar e isso deu uma segunda parte muito viva", acrescentou.

Já o treinador do Rio Ave frisou que o resultado "é claramente injusto". "Costuma dizer-se que não há justiça no futebol, se calhar também já ganhei jogos assim, mas este é claramente um resultado injusto", observou Carlos Brito.

Para o técnico vila-condense, "se o Rio Ave tivesse empatado este jogo ia embora com sabor a injustiça, quanto mais com a derrota…".

"Foi um jogo disputado, fizemos um jogo muito bom, quero dar os parabéns aos meus jogadores, que não são os melhores do mundo, isso para mim é psicologia barata, mas são gente humilde, sem grande nome e que têm dignificado o Rio Ave", sublinhou Carlos Brito.

Sobre a grande penalidade que ficou por assinalar a favor do Rio Ave, por mão na bola de Desmarets na área vitoriana, Carlos Brito não quis comentar: "A minha opinião não vale nada sobre esse lance, mas o Rio Ave não perdeu exclusivamente por causa desse lance".

Sobre o mesmo lance, Paulo Sérgio respondeu com alguma ironia: "Podia ter sido marcada grande penalidade - e depois o Nilson defendia".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.