"Um vintém é um vintém e um cretino é um cretino e há coisas que não
mudam. Estou aqui como profissional e não vou enveredar por esses
caminhos", respondeu Manuel Machado, quando confrontado no 'flash-interview' sobre o comportamento de Jorge Jesus, que terá lançado provocações ao banco do Nacional durante a partida.

Sobre os alegados incidentes no túnel de acesso aos balneários revelados por Ruben Micael, o técnico do Nacional remeteu a questão para os dirigentes: "Essas questões são colaterais, as direcções é que têm de se pronunciar. Pela versão do Ruben houve tentativas de agressão, mas é um dossier que não é meu. A direcção é que terá de se pronunciar."

Já sobre o futebol dentro das quatro linhas, Manuel Machado considerou a viória do Benfica "justa", mas acentuou o tom crítico sobre o árbitro Vasco Santos. "A segunda metade não abona o futebol, foi tumultuada devido ao penálti que dá o terceiro golo e à falta grosseira sobre o Ruben Micael que depois dá origem ao quarto golo do Benfica. Depois disso podiam ter sido cinco, seis ou Sete. Julgo que esses dois erros mancham a arbitragem", frisou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.