Antigo vice-presidente do Benfica, José Ribeiro e Castro teceu, esta sexta-feira, duras críticas à fomra como os 'encarnados' se têm apresentado neste retomar do campeonato, com dois empates - frente a Tondela (0-0) e Portimonense (2-2) - em dois jogos.

Em declarações ao programa 'Bola Branca', da Rádio Renascença, Ribeiro e Castro não poupa críticas a toda a estrutura do futebol do Benfica, e disse esperar que Luís Filipe Vieira, Bruno Lage e jogadores aprendam as lições destas últimas semanas.

"É muito triste que, tendo o Benfica recomeçado esta reta final do campeonato em desvantagem face ao FC Porto e tendo estado ao seu alcance conquistar uma vantagem importante a tenha desperdiçado, bem como a igualdade de pontos que havia conseguido. É uma anedota, uma brincadeira, soa a ridículo e não está à altura das aspirações dos benfiquistas. Estou seguro que dirigentes, treinador e jogadores saberão ouvir esta mensagem da parte do clube e estar à altura das suas responsabilidades", afirmou o antigo dirigente das 'águias'.

Quanto ao futuro de Bruno Lage, que tem vindo a ser colocado em causa por muitos adeptos nos tempos mais recentes, Ribeiro e Castro não defende, para já, a saída do técnico, apesar de reconhecer que o estado de graça que este viveu já chegou ao fim.

"Não vou dar para esse peditório. Não falta muito para a época acabar e os benfiquistas têm de acreditar na recuperação da equipa e que a equipa esteja ao seu nível e que faça boa figura, para conquistar o campeonato. Não vou contribuir para criar mais tensões e dificuldades, mas temos de exigir da equipa técnica e dos jogadores um desempenho esforçado e de qualidade. Ao nível do Benfica. O Benfica tem de ganhar todos os jogos até ao final. Ponto final. Senão, não será campeão!", referiu nas mesmas declarações à 'Renascença'.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.