Sólido na defesa, inteligente no meio-campo e mortífero no ataque. O Benfica arrumou a imagem mais cinzenta que apresentou ontem no encontro com os holandeses do Groningen e vestiu a camisola “mortífera” que usou na época passada. Mas só durante os primeiros 20 minutos de jogo.

Aos 6 minutos de jogo, na sequência de um pontapé de canto, Gaitán cruzou para a área e Kardec, que ontem marcou o primeiro golo do Benfica, saltou com facilidade e cabeceou para o fundo das redes da baliza de Serginho.

Benfica continuou imparável e três minutos depois, Kardec, já dentro da grande área, atrasou a bola para Saviola e o argentino finalizou da melhor forma.

A partir dos vinte minutos o Vitória foi crescendo (e o Benfica abrandando de ritmo) e o jogo ficou mais equilibrado, até que a equipa da casa chegou ao primeiro golo aos 33 minutos, com a ajuda do guarda-redes encarnado Roberto.

Depois de um pontapé de canto, a bola “saltitou” entre defesas e atacantes e Roberto, na pequena área, andou atrás da bola até que Valdomiro aproveitou o desleixo do espanhol e encostou a bola nas redes.

Recorde-se que caso este resultado se mantenha até ao fim dos noventa minutos o Benfica conquistaria, pela terceira vez consecutiva, o prémio organizado pelo clube minhoto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.